Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Oposição russa vai protestar contra aumento da idade de aposentadoria

Governo de Vladimir Putin quer mudar piso de 55 para 63 anos, para mulheres, e de 60 para 65 anos, para homens

O líder opositor Alexei Navalny, sem partido, convocou para o dia 1º de julho um protesto nacional contra os planos do governo da Rússia de aumentar progressivamente a idade mínima de aposentadoria em cinco anos para os homens e em oito para as mulheres, até alcançar os pisos de 65 e 63 anos de idade, respectivamente.

“O aumento da idade de aposentadoria que (o presidente Vladimir) Putin e (o primeiro-ministro Dmitri) Medvedev pensaram em realizar é um autêntico crime”, escreveu Navalny em seu perfil no Instagram.

Segundo o opositor, trata-se de “roubar milhões de pessoas”, sob o pretexto de que chegou o momento para realizar tal reforma.

“Vamos protestar contra isso com todas as nossas forças e convocamos vocês a fazerem o mesmo”, discursou Navalny para seus seguidores.

O líder opositor acrescentou ter solicitado permissão às autoridades municipais para realizar comícios em 20 cidades da Rússia. Nenhuma delas sedia jogos da Copa do Mundo.

O anúncio de Navalny de lançar um protesto nacional coincide com o debate previsto hoje (19) no parlamento russo sobre o polêmico aumento da idade mínima da aposentadoria, depois do sinal verde do governo de Putin para o início desses debates.

A proposta de reforma do governo estabelece um período de transição, entre 2019 e 2034, para a elevação da idade mínima de aposentadoria das mulheres dos atuais 55 anos para 63 anos. No caso dos homens, que atualmente se aposentam aos 60 anos, o período de transição terminará em 2028, quando a idade mínima será de 65 anos.

Ao justificar o apoio do governo à polêmica medida, o primeiro-ministro Medevdev alegou que a idade atual de aposentadoria foi determinada na época soviética, quando as pessoas viviam cerca de 40 anos. Atualmente, a expectativa média de vida na Rússia é de 67,7 anos para os homens e de 77,6 para as mulheres.

Outro dirigente opositor russo, Sergei Udaltsov, líder da Frente de Esquerda, também convocou um protesto contra a mesma questão para 4 de julho em Moscou.

Udaltsov, que saiu da prisão no ano passado, depois de ter cumprido pena de quase cinco anos de condenação por participar de distúrbios contra o governo, disse que os opositores querem se concentrar na Praça da Revolução, em Moscou, e estima a presença de 2 mil pessoas.

O líder da Frente de Esquerda acrescentou que, durante o ato, seus correligionários planejam exigir a convocação de um referendo nacional sobre a mudança previdenciária.

Um pedido ao governo russo para não aumentar a idade mínima de aposentadoria alcançou hoje mais de 1,8 milhão de assinaturas na plataforma Change.org.

(Com EFE)