Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

ONU: Irã arma rebeldes houthis do Iêmen desde 2009

Relatório confidencial apresentado ao Conselho de Segurança da ONU aponta que os iranianos enviaram navios com armas para os xiitas houthis derrubarem o governo sunita

Por Da Redação
1 Maio 2015, 09h35

O Irã envia armas a rebeldes houthis do Iêmen desde pelo menos 2009, segundo um relatório confidencial da Organização das Nações Unidas (ONU) revelado nesta sexta-feira pela imprensa europeia, que destaca que o apoio de Teerã data dos primeiros anos da insurgência xiita. O relatório, feito por uma comissão de especialistas, foi apresentado na semana passada ao Comitê de Sanções contra o Irã do Conselho de Segurança, em um momento em que a ONU busca negociar o fim da campanha de bombardeios aéreos da coalizão encabeçada pela Arábia Saudita no Iêmen e a volta das negociações.

A Arábia Saudita apoia o presidente iemenita, Abd Rabbo Mansur Hadi, e o Irã, maior país xiita da região, apoia as milícias rebeldes, mas sempre negou o fornecimento de armas. O informe é apresentado após uma investigação de especialistas que foi motivada após autoridades iemenitas apreenderem em sua costa o barco iraniano Jihan, que levava armas a bordo.

Leia também

Marinha dos EUA vai escoltar navios após Irã apreender cargueiro

Após breve trégua, coalizão árabe bombardeia rebeldes no Iêmen

As informações coletadas “sugerem que o caso do Jihan foi antecedido por outras entregas por mar no Iêmen, que remontam, no mínimo, a 2009”, explica o relatório que a agência France-Presse e jornais europeus tiveram acesso. “A análise sugere também que o Irã era a origem destas entregas e que os destinatários eram os xiitas houthis no Iêmen e, talvez, em outros casos, destinatários em outros países vizinhos”, acrescentaram os especialistas.

Continua após a publicidade

“O apoio militar atual do Irã aos houthis foi corroborado por transferências de armas, realizadas durante pelo menos cinco anos”, destacou o documento. Além do Jihan, os investigadores registraram outros cinco casos de embarcações iranianas transportando armas destinadas ao Iêmen com o objetivo de armar os rebeldes para desestabilizar o governo sunita.

Os xiitas houthis e seus aliados conquistaram amplos territórios nos últimos meses, incluindo a capital Sana, e expulsaram o presidente iemenita de seu cargo. Riad acusa o Irã de apoiar os rebeldes e decidiu bombardeá-los para impedir a instauração de um Estado favorável a Teerã as suas portas. O governo dos Estados Unidos advertiu que não vai tolerar o apoio do Irã aos rebeldes xiitas houthis no Iêmen. O país que é tido como importante aliado dos EUA na luta contra a Al Qaeda – o braço mais atuante da rede terrorista fica no Iêmen.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.