Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Onda de calor chega ao fim, dizem meteorologistas

Altas temperatura prejudicaram a economia e deixaram inúmeros mortos

Meteorologistas afirmaram nesta quarta-feira que a forte onda de calor na região de Moscou está finalmente chegando ao fim. As altas temperaturas, registradas nos últimos dois meses, prejudicaram duramente a economia do país e deixaram inúmeros mortos.

Segundo o chefe do serviço meteorológico, Roman Vilfand, a temperatura na capital cairá dos 31ºC para até 21ºC na próxima quinta-feira. “Hoje é o último dia quente em Moscou”, anunciou. Estão previstas chuvas para a maior parte da Rússia Europeia, os Montes Urais, a Sibéria e a região no extremo Oriente do país durante o final de semana.

Estima-se que a onda de calor e a seca tenham destruído um quarto da plantação de grãos da Rússia e possam ter causado uma redução de 14 bilhões de dólares no PIB deste ano.

Autoridades romperam o silêncio sobre os efeitos do calor e da fumaça no dia 9 de agosto, quando o chefe do departamento de Saúde de Moscou, Andrei Seltsovsky, disse que a cidade passou a registrar 700 mortes por dia: o dobro do número contabilizado antes da seca. O registro civil da capital também informou que 1.300 dos 1.500 lugares disponíveis nos necrotérios da cidade estavam ocupados.

Emergência – O governo disse que estava considerando levantar o estado de emergência imposto em Moscou e na Mordóvia, mas que as regiões de Vladimir e Ryazan continuam sofrendo com os incêndios florestais.

A situação na capital já é bem melhor, apesar de ainda ser possível ver a fumaça em algumas partes da cidade. A quantidade de poluição aumentou entre quatro e dez vezes em 4 de agosto, atingindo os piores índices em oito anos.

(Com Reuters)