Clique e assine a partir de 9,90/mês

Na Casa Branca, Trump diz que vai pedir conselhos a Obama

“Discutimos muitas situações, algumas delas maravilhosas e algumas mais difíceis”, afirmou Donald Trump em coletiva de imprensa

Por Da redação - Atualizado em 10 nov 2016, 18h35 - Publicado em 10 nov 2016, 16h13

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o recém-eleito Donald Trump se encontraram nesta quinta-feira na Casa Branca. De acordo com o republicano, a reunião, que deveria durar no máximo quinze minutos, acabou se estendendo por uma hora e meia e foi muito produtiva.

Em um rápido pronunciamento à imprensa no Salão Oval, os dois afirmaram que discutiram os preparativos para uma transição tranquila entre os dois governos. “Nós queremos garantir que eles se sintam bem-vindos e queremos estar preparados para essa transição”, afirmou Obama. Os dois conversaram sobre “assuntos organizacionais e políticas externa e interna”, segundo o presidente. 

Trump afirmou que o encontro foi muito proveitoso e que espera poder se reunir mais vezes com Obama no futuro, “inclusive para aconselhamento”. “Discutimos muitas situações, algumas delas maravilhosas e algumas mais difíceis”, disse o magnata, que acrescentou ter sido uma “grande honra” ser recebido na Casa Branca. A primeira-dama Michelle Obama e a esposa do bilionário nova-iorquino, Melania Trump, também se encontraram em uma reunião privada.

Após o encontro com Obama, Donald Trump se reuniu com o Presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, o republicano Paul Ryan. Em uma coletiva de imprensa ao lado de Ryan e Melania, o magnata afirmou que tem planos para reduzir os impostos e melhorar o sistema de saúde americano. “Nós vamos consertar a saúde pública e torná-la acessível e melhor”, disse Trump, que acrescentou: “Acredito que vamos fazer algumas coisas absolutamente espetaculares para o povo americano”.

Continua após a publicidade

Obama fez uma campanha vigorosa pela ex-secretária de Estado Hillary Clinton, rival democrata de Trump, e chegou a afirmar que o bilionário não tem temperamento adequado para ser presidente e é perigosamente despreparado para ter acesso aos códigos nucleares americanos. Em uma coletiva após a reunião no Salão Oval, o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, disse que Trump e Obama não resolveram suas diferenças, mas que “a reunião pode ter sido pelo menos um pouco menos constrangedora do que alguns esperavam”.

 

Publicidade