Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Número de mortos por ciclone no sudeste africano chega a 946

Moçambique e Zimbábue atualizaram o total de vítimas após passagem do Idai. Países também possuem milhares de desabrigados e surto de cólera

O número de mortes provocadas pelo ciclone Idai, que devastou Moçambique e Zimbábue em 14 de março, está próximo de mil, segundo os últimos números divulgados pelos governos dos dois países. O Malawi também foi atingido.

Na terça-feira, o Zimbábue atualizou seu balanço para 344, enquanto Moçambique disse que as mortes registradas foram 602, elevando o total para 946. Mais de dois milhões de pessoas – 1,85 milhão delas em Moçambique – foram afetadas pelo ciclone Idai.

Além das mortes, a passagem do ciclone, em março, também causou devastação, deixou milhares de desabrigados e provocou um surto de cólera na região.

 

No início do mês, vinte bombeiros da equipe de busca e salvamento da Força Nacional de Segurança Pública do Brasil e mais vinte militares mineiros que trabalharam no resgate das vítimas do rompimento da barragem de Brumadinho foram enviados para ajudar nas buscas na região.

A portaria do Ministério da Justiça e Segurança Pública autorizando o envio dos vinte profissionais da Força Nacional foi publicada no Diário Oficial da União. O prazo de atuação é de trinta dias, mas poderá ser prorrogado conforme as necessidades locais. Caso contrário, todo o efetivo retornará imediatamente ao Brasil.

Os bombeiros da Força Nacional atuarão prioritariamente na cidade de Beira. A capital do estado de Sofala é a segunda maior cidade de Moçambique e foi uma das localidades mais afetadas pelos fortes ventos, chuvas e inundações.

(Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil)