Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Nigéria: Ataque do Boko Haram mata ao menos 65 após funeral

Governo local diz que massacre foi uma represália à morte de 11 combatentes do grupo e à apreensão de 10 fuzis automáticos por moradores há duas semanas

Por AFP 29 jul 2019, 02h40

Combatentes do Boko Haram mataram 65 pessoas em um ataque neste sábado depois de uma cerimônia fúnebre em uma vila do nordeste da Nigéria – quase três vezes mais que o balanço inicial de mortes -, informou neste domingo um autoridade local.

Dezenas de corpos foram encontrados neste domingo após o ataque de homens armados, na véspera, em um povoado perto da capital regional Maiguduri. “Há 65 mortos e dez feridos”, anunciou o presidente do governo local, Muhammed Bulama.

Por volta das 10h30 (7h30 no horário de Brasília) de sábado, os insurgentes, que chegaram a bordo de três motocicletas, abriram fogo contra um grupo de homens que retornavam de uma vila próxima, onde haviam participado do funeral no distrito de Nganzai, a 90 km de Maiduguri.

  • Até este sábado, 23 corpos tinha sido encontrados no local por milicianos e caçadores, depois que sobreviventes conseguiram chegar à sua aldeia para avisar, de acordo com um morador, Saleh Masida.

    “As outras 42 pessoas foram assassinadas quando perseguiam os terroristas”, declarou Bunu Bukar Mustapha. O Boko Haram realiza ataques regulares nesta região, saqueando comida e queimando casas.

    Segundo Bulama, o ataque deste sábado foi uma represália à morte de 11 combatentes do grupo e à apreensão de 10 fuzis automáticos por moradores há duas semanas. Em setembro, insurgentes mataram oito pessoas e roubaram gado em duas aldeias do distrito de Nganzai.

    O Boko Haram e o ramo dissidente afiliado ao grupo Estado Islâmico, Iswap, intensificaram os ataques contra civis e o exército nos últimos meses.

    Na quinta-feira, membros da Boko Haram atacaram um campo de deslocados na periferia de Maiduguri, matando duas pessoas e saqueando suprimentos de comida depois de invadir a base militar próxima.

    Continua após a publicidade
    Publicidade