Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mulher de homem negro baleado em Charlotte divulga vídeo de morte

As imagens não deixam claro se Keith Scott estava de fato portando uma arma quando foi morto por policiais, como afirma o Departamento de Polícia

Um vídeo divulgado nesta sexta-feira mostra a morte de Keith Lamont Scott, baleado por policiais na cidade de Charlotte, nos Estados Unidos, na última terça-feira. As imagens foram feitas pela esposa da vítima, Rakeyia Scott, e entregues por seus advogados ao jornal The New York Times.

A morte de Scott, um homem negro de 43 anos, provocou protestos violentos na cidade durante a última semana. Sua família alega que ele foi morto injustamente e que não estava armado – ao contrário do que foi defendido pela polícia. As imagens divulgadas por Rakeyia, porém, não deixam claro se Scott portava qualquer tipo de arma.

No vídeo, é possível ouvir Rakeyia pedindo para seu marido sair de dentro do carro e para a polícia não atirar. “Ele não tem arma”, grita ela. Também é possível ouvir o som dos tiros e, em seguida, Scott deitado no asfalto, com policiais a sua volta.

Leia também:
EUA: Charlotte está em estado de emergência por protestos raciais
Atletas da NBA e da NFL protestam por mortes de negros nos EUA

Segundo a esposa, o homem estava estacionado próximo a seu apartamento enquanto aguardava seus filhos chegarem de ônibus da escola. A polícia estava no local para cumprir um mandato que envolvia outra pessoa, aparentemente não relacionada com o episódio da morte.

Um dos advogados da família, Justin Bamberg, disse ao Times que “não há fatos suficientes para comprovar se os tiros foram ou não justificados”. De acordo com ele, o vídeo foi divulgado para incentivar que o Departamento de Polícia faça o mesmo e leve a público as imagens feitas por eles, por meio de uma câmera corporal usada por um policial, além da câmera veicular da viatura.

“Nós vamos divulgar quando acharmos que há uma razão convincente”, afirmou o chefe de polícia de Charlotte, Kerr Putney. Segundo Putney, os vídeos da polícia podem levantar ainda mais dúvidas da população sobre o caso e só serão divulgados após uma investigação minuciosa.

Vídeo: Homem é morto por policiais em Charlotte, nos Estados Unidos

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Claudio Stainer

    Se a vítima estivesse armada teria revidado. Americano não usa arma para exibição.

    Curtir

  2. Guilherme Massao Cobayaxi

    Pq não usam as benditas armas de choque!!??? Tá certo q msm essas, em casos específicos, podem acabar matando o suspeito apenas com o choque provocado pelo disparo, mas a chance de sobreviver é bem maior do q aos disparos de uma arma de fogo convencional.

    Curtir

  3. Paulo Bandarra

    Fica evidente que o baleado estava há tempos se negando a deixar de ameaçar os policiais. Tanto tempo que até a esposa ouviu e foi ao local filmar. As imagens deixam claro que não colaborou em nenhum momento. E o vídeo não mostra que ele estava desarmado como alega a esposa.

    Curtir

  4. Jonas ninive

    Poxa. Na academia já os ensinam como identificar o marginal padrão: favelado, paraíba, negão… Não há que se surpreender. Eles estavam fazendo seu trabalho, do jeito que foram ensinados. Por isso, defendo os porcos. Adoro bacon!

    Curtir

  5. Roderlei Bigliazzi

    Ela muito tranquila enquanto filma e depois quando vê o cara morto. Estranho. se são assassinos, por que não tiraram o celular dela e não a apagaram? Algo se passou e não foi filmado.

    Curtir

  6. jj guimaraes

    Brasil e Estados Unidos, o mesmo preconceito contra os negros. É negro logo é um criminoso em potencial.

    Curtir

  7. ÁGUIA ATENTA

    Tem muito marginal aqui no Brasil, possivelmente também nos EUA, que se escondem atrás da cor, condição social, comportamento sexual, etc, para encobrir seus crimes. Para mim existem duas “raças” de seres humanos; os cidadãos de bem e a escória da sociedade, e essa escória tem que ser combatida sem trégua pelos cidadãos de bem, com o mínimo de direitos possíveis, não interessa se são negros, brancos, gays, héteros, ricos, pobres, lixo é lixo, tem de ser limpados.

    Curtir

  8. Marco Alves Monteiro

    Todo ano a polícia americana mata brancos, hispânicos e alguns asiáticos, mas só vira notícia quando é um negro que é morto. E muitas vezes por policiais negros. É óbvio que a imprensa (com seu viés politicamente-“correto” e despudoradamente parcial) só dá as notícias que convém à sua agenda de campanha de ódio aos brancos. Ao noticiarem seletivamente o que lhes convém, se tornam responsáveis por depredações, vandalismo e morte de pessoas inocentes e policiais vítimas do movimento terrorista black LIES matter.

    Curtir

  9. Muito estranha a reação da mulher ? tentei imaginar a reação se ela fosse a minha esposa e ele eu mesmo. Não me pareceu uma reação de uma pessoa realmente inocente e a investigação apontará os fatos reais. As abordagens da polícia dos EUA são de fato mais duras pois eu mesmo já passei por uma situação desta no carro de amigos residentes na Florida que haviam parado o carro em local proibido de parar. Mas entre o laxismo, a leniência e conivência das autoridades brasileiras prefiro a dureza e a assetividade das autoridades dos EUA. Basta comparar os índices de homicídiobe de mortos em acidentes de carro entre o Brasil e os EUA. Esses fatos com desfecho trágicos acontecem tb com brancos hispânicos, vermelhos, verdes, amarelos, carecas ou não mas a ideologia edtupida e obtusa do politicamente correto sempre quer dar uma explicação racialista aos fatos.

    Curtir

  10. Sandro Molina

    Alguém pode dar uma MEDALHA para esses SANTOS e ABENÇOADOS policiais?!

    Curtir