Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Manga atirada contra Maduro inspira críticas e jogo para celular

Mulher jogou fruta contra o presidente para pedir uma casa. Opositores entram na onda, mas pedem renúncia, saúde, alimentos, honestidade, liberdade...

Por Da Redação 7 Maio 2015, 20h53

Está sobrando manga na Venezuela – se não nas prateleiras dos supermercados, pelo menos no debate político. No final do mês passado, uma apoiadora do governo atirou a fruta na cabeça do presidente Nicolás Maduro com o objetivo de chamar sua atenção para um pedido de moradia. Mais tarde, o presidente mostrou a manga na televisão, com o nome e o número de telefone da mulher e disse que havia aprovado um apartamento para ela. Imediatamente, surgiram suspeitas de que tudo não passasse de uma armação da propaganda chavista, e a oposição passou a ironizar o oportunismo de Maduro, com direito a um aplicativo para celulares, o “Maduro Mango Attack”.

Leia também:

Congresso brasileiro será usado como palco de propaganda chavista

‘Não existe Justiça na Venezuela’, diz mulher de opositor preso

Primeira-dama da Venezuela ganha do ‘maridão’ um programa de TV

A opositora María Corina Machado publicou uma foto no Twitter segurando uma manga com um recado: #renuncie. “Vamos ver se ele entende quando eu uso o mesmo método: #Renuncie”, escreveu. Ela também compartilhou uma ilustração de outro usuário na qual Maduro aparece com um guarda-chuva tentando se defender de uma chuva de mangas com diversos pedidos: leite, carne, frango, farinha, saúde, medicamentos, luz, segurança, honestidade, liberdade.

Continua após a publicidade

Jogo – O aplicativo inspirado no episódio tem como objetivo acertar mangas no presidente, no chefe da Assembleia Nacional, Diosdado Cabelo, que passa correndo com um saco de dólares, e no falecido presidente Hugo Chávez, retratado como um passarinho com uma boina vermelha – em alusão ao comentário de Maduro de que seu mentor apareceu na forma de um passarinho.

À agência de notícias Associated Press, um dos criadores do jogo online disse que o objetivo não é incentivar a violência contra o presidente, mas usar o humor para chamar a atenção para os problemas enfrentados pela população. Fernando Malave contou que ele e Gabriel Diaz, co-criador do aplicativo, foram morar na Argentina no ano passado, para tentar fugir da criminalidade e da crise econômica na Venezuela.

Vídeo: Maduro é atingido por manga

https://youtube.com/watch?v=TLG3us0zJQQ

Direitos Humanos – A Comissão Interamericana de Direitos Humanos decidiu manter a Venezuela em sua “lista negra” por mais um ano – o país figura na relação desde 2005. Em relatório divulgado nesta quinta-feira, a organização apresentou uma série de denúncias contra a ausência de liberdades e a repressão à população do país.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade