Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Mais de 1.000 terroristas do EI foram mortos em ataques na Síria

Bombardeios da coalizão liderada pelos EUA contra o Estado Islâmico atingiu mais de 1.000 terroristas desde o final de setembro, segundo ONG

Por Da Redação 23 dez 2014, 21h52

Mais de mil jihadistas morreram nos últimos três meses na Síria em ataques da coalizão liderada pelos Estados Unidos, anunciou nesta terça-feira o Observatório Sírio dos Direitos Humanos. “Desde o início dos ataques (em 23 de setembro), pelo menos 1.171 pessoas morreram em ataques árabes e internacionais na Síria, entre eles 1.119 jihadistas do grupo Estado Islâmico e da Frente Nusra”, anunciou a organização.

Segundo a contagem da ONG, os bombardeios mataram 1.046 membros do EI, em sua maioria não sírios, 72 da Frente Nusra, um prisioneiro jihadista que não teve a organização a que pertencia determinada e 52 civis.

Leia também:

França desmantela rede que enviava jihadistas à Síria

Homem que atacou policiais na França exibia bandeira do EI

Continua após a publicidade

Curdos libertam centenas de yazidis sitiados pelo EI

Jihadistas do EI destroem maior prisão do norte do Iraque

Outros 37 civis, entre eles nove crianças, morreram nesta terça-feira em ataques do Exército sírio em Raqqa, reduto dos terroristas do Estado Islâmico no norte do país, e também em Duma, arredores de Damasco, em Dael (sul), em Jabal Zawyia (noroeste) e em Bab, perto de Aleppo, segundo o OSDH

Também nesta terça, o FBI alertou sobre uma ameaça “não sustentada e anônima” do EI de explodir a ponte do rio Mississippi. Segundo um porta-voz da polícia americana, a informação foi repassada à polícia local por “excesso de cautela”, já que não há dados de inteligência que fundamentem a ameaça. O porta-voz Chris Allen não deu detalhes sobre quando o de que forma a ameaça foi recebida. O alerta foi reportado pela Fox13 News em Memphis.

(Com agências France-Presse e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade