Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Maioria dos imigrantes ilegais entrou nos EUA com visto

A estimativa do próprio governo americano é de que dos 11 milhões de pessoas sem documentação, pelo menos 6 milhões chegaram com visto pelos aeroportos

Apesar da emblemática e famosa travessia terrestre pela fronteira entre os Estados Unidos e o México, mais da metade dos 11 milhões de imigrantes sem documentação que vivem nos Estados Unidos entram por via aérea, com visto de turista. Depois de vencer o prazo de permanência no país, eles não retornam ao país de origem.

A estimativa do próprio governo americano é de que dos 11 milhões de pessoas sem documentação, pelo menos 6 milhões chegaram com visto pelos aeroportos. Nessa categoria se enquadra a maioria dos brasileiros que vivem nos EUA sem visto de permanência. Entram com visto de turista e não regressam dentro do prazo estipulado (em geral, seis meses).

Muro — O muro fronteiriço começou a ser construído entre os dois países desde 1994, sendo que atualmente já estão prontos 1.050 quilômetros. O projeto de Donald Trump prevê a construção de uma parte horizontal e outra feita por meios de valas.  O muro do México deverá ter cerca de 1,6 mil quilômetros de comprimento. A fronteira tem, ao todo, 3.200 quilômetros, mas além da parte já construída (que será remodelada), existem barreiras naturais.

Corredor perigoso — De acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM), cerca de 6% dos imigrantes no mundo passam pela fronteira dos Estados Unidos com o México. O governo mexicano estima que cerca de 160.000 pessoas atravessem a fronteira terrestre entre os dois países a cada ano. Mas a maioria dos que cruzam a fronteira não são de nacionalidade mexicana.

O corredor México-Estados Unidos é usado por pessoas que tentam imigrar de vários países, da América Central e também de pessoas de outros continentes que chegam legalmente ao México. Depois dos atentados nas torres gêmeas em Nova York, em 2001, a fiscalização aumentou muito na região, mas ainda há pessoas que conseguem atravessar. A travessia é extremamente perigosa e cara. Os coiotes trabalham em conjunto com os cartéis do tráfico de drogas.

A área fronteiriça sobre influência de carteis de drogas também é cenário para outros crimes como abuso sexual, homicídios, sequestro e tráfico de pessoas. O número de pessoas que morrem na travessia é alta. A cifra, no entanto, pode ser maior porque não há controle de quem passa, uma vez que a maioria busca rotas controladas por narcotraficantes. A maioria dos casos é registrada como desaparecimento. Foram 2.400 no ano passado. Estima-se que entre 60 e 80 pessoas morram por mês, na tentativa de atravessar a fronteira.

(Com Agência Brasil)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Anjo Conservador

    E agora vão sair…sem vistos.

    Curtir

  2. célio alvarenga marques

    A VERDADE QUE OS TRUMPISTAS DETESTAM OUVIR:TRUMP É IMPOPULAR, AMAIORIA DOS AMERICANOS NÃO GOSTA DELE,ELE TEVE MENOS VOTOS POPULARES DO HILLARY CLINTON!SINTO MUITO É A VERDADE E VOCÊS CONTINUARÃO TENDO QUE OUVIR ISSO TODOS OS DIAS PORQUE A MAIOR PARTE DA IMPRENSA(A MELHOR PARTE)TAMBÉM NÃO GOSTA DELE NÃO HÁ NADA QUE VOCÊS(NEM ELE)POSSAM FAZER PARA MUDAR ISSO!PRONTO FALEI!ENGULAM!

    Curtir

  3. Ilegal é ilegal e pronto. Entraram com visto de turista, ou seja, mentiram ao informarem que retornariam aos seus países. Isso só prejudica quem quer entrar legalmente no país.

    Curtir

  4. A mídia globalista está em ponto de implosão. A Veja esquece de citar os acordos como o Nafta e o Cafta que, em última análise, beneficiam as empresas, mas devastam os governos e economias locais e forçam as pessoas a migrar. Os números apresentados na matéria também são questionáveis. A maioria sim são mexicanos. De acordo com a Pew Research Center existem 5,8 milhões de mexicanos ilegais e 5,3 milhões de ilegais vindos da américa central, ásia e áfrica. A Veja omite de citar as causas desta imigração, como regimes socialistas e islâmicos e sua a opressão e a brutalidade de governo em países como China, Irã, El Salvador, Camboja, Somália e outros países que torturaram, detiveram e mataram seus cidadãos também contribuíram para os fluxos de refugiados. Leitores fiquem atentos a mídia globalista #fakenews.

    Curtir

  5. Antonio Pedro

    célio alvarenga marques O Trump ganhou, isso é fato, é o presidente agora e não há nada que você e a maior parte da imprensa(que é tambem a pior parte)possa fazer, e o resto que vem de vocês é só choro!
    Tente a sorte daqui a 4 anos, simples assim! Pronto, falei! Engula!

    Curtir

  6. José Gonzaga da Silva

    Cada um no seu quadrado, porque as pessoas não tentam melhorar seu próprio país, querem é pegar tudo pronto…..Aqui mesmo, mantemos comunistas safados durante muitos anos….Se comunismo fossem bom, a Dilma Rousseff e a Jandira Feghal estaria fazendo um tuor era na Venezuela, Bolívia, Coréia do Norte, não na Espanha…..

    Curtir