Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Lula: Argentina precisa de um presidente que ‘goste de democracia’

Em live, presidente evitou declarar apoio a algum dos candidatos, mas destacou a necessidade de fortalecer a integração na América do Sul

Por Pedro Cardoni Atualizado em 14 nov 2023, 17h03 - Publicado em 14 nov 2023, 11h24

Às vésperas do segundo turno das eleições presidenciais da Argentina, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que é o país é “muito importante” para o Brasil e precisa eleger um líder que “goste de democracia”. As declarações foram dadas durante a sua live “Conversa com o Presidente” no X, anteriormente conhecido como Twitter, nesta terça-feira, 14.

Lula ressaltou as relações comerciais entre os países e a possibilidade de crescimento econômico conjunto. Porém, também destacou a necessidade de que o novo presidente argentino, que será escolhido no domingo 19, goste do Mercosul e da integração com a América do Sul.

“Lembrem que o Brasil precisa da Argentina e que a Argentina precisa do Brasil. Dos empregos que o Brasil gera na Argentina e dos empregos que a Argentina gera no Brasil. Do fluxo comercial entre os dois países, e de quanto nós podemos crescer juntos”, disse o petista.

+ ‘Não se pode matar crianças para matar o monstro’, diz Lula sobre Israel

Durante a live, Lula evitou declarar apoio a algum dos candidatos, apesar da sua aproximação com o atual governo argentino. No próximo domingo, Sergio Massa, atual ministro da economia da Argentina e nome do peronismo, e Javier Milei, candidato de extrema direita, vão disputar a Casa Rosada.

O governo brasileiro avalia que, se Milei vencer a eleição, pode haver um retrocesso na integração regional, gerando uma paralisia no Mercosul. O presidenciável argentino também é admirador do ex-presidente Jair Bolsonaro e mantém contatos com o deputado Eduardo Bolsonaro.

Milei ficou conhecido por declarações polêmicas de que queimar o Banco Central “vai acabar com a inflação”, ou de que a venda de órgãos pode ser “mais um mercado” e que os políticos “devem levar um chute na bunda”. Ele também já chamou o petista de “socialista com vocação totalitária” e disse que o Mercosul é um fracasso.

Continua após a publicidade

+ Em último debate, Milei e Massa divergem sobre relação com Brasil

Lula é aliado e amigo pessoal do atual presidente argentino, Alberto Fernández, e Massa faz parte do governo. A vitória de Milei significaria uma barreira nas relações entre Brasil e Argentina e poderia também impedir a reaproximação com países como a Venezuela de Nicolás Maduro.

“Eu só queria pedir para o povo argentino, na hora de votar, pense na Argentina. É soberano o voto de vocês, mas pense um pouco no tipo de América do Sul que você quer criar, de América Latina que você quer criar e de Mercosul que você quer criar. Juntos, nós seremos fortes. Separados, nós somos fracos”, concluiu Lula.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.