Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Legista de caso de Amy Winehouse renuncia

Por Da Redação 1 fev 2012, 15h06

Londres, 1 fev (EFE).- A juíza legista encarregada do caso de Amy Winehouse renunciou após suas qualificações serem questionadas, algo que pode invalidar o parecer de que a cantora morreu por conta do álcool, informa nesta quarta-feira a emissora ‘BBC’.

A legista Suzanne Greenaway participou da investigação sobre as causas da morte da artista, de 27 anos, depois que foi encontrada sem vida em seu apartamento no norte de Londres em 23 de julho.

Em 26 de outubro, Greenaway afirmou que ao morrer a diva do ‘soul’ tinha uma taxa de álcool no sangue cinco vezes acima da permitida para dirigir, com 416 miligramas por cada 100 mililitros de sangue, mas não havia rastro de ‘substâncias ilegais’, como drogas.

Em seu parecer, a juíza indicou que a morte de Amy foi ‘acidental’ e indicou que ‘uma quantidade tão elevada de álcool em seu corpo pode tê-la feito parar de respirar e entrar em coma’.

No entanto, a legista deixou seu cargo em novembro depois que as autoridades questionaram suas qualificações por não cumprir os requisitos exigidos pela legislação britânica, o que potencialmente poderia invalidar o laudo emitido na ocasião.

Aparentemente, Greenaway, que foi nomeada por seu marido, o legista Andrew Reid, como assistente em 2009, não tinha cinco anos de registro como advogada no Reino Unido, como exige a lei, após ter exercido sua profissão durante uma década na Austrália, seu país natal.

Os familiares de Amy afirmaram nesta quarta-feira que ainda estão assimilando a notícia e que estão sendo ‘assessorados’ sobre suas possíveis implicações.

Por sua vez, Andrew Reid se mostrou ‘confiante’ que todas as investigações relativas à morte da cantora ‘foram executadas de forma correta’, embora tenha se oferecido para realizá-las novamente caso a família de Amy deseje.

Ainda nesta quarta-feira, o Escritório de Queixas Judiciais abriu uma investigação sobre a conduta de Reid, segundo informa a agência local ‘Press Association’. EFE

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)