Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Israel suspende negociações de paz com palestinos

Os israelenses argumentam que acordo entre a ANP e o grupo radical islâmico Hamas impossibilita o futuro das tratativas de paz

Israel decidiu nesta quinta-feira suspender de forma imediata as negociações de paz por causa do anúncio de um novo acordo de união nacional entre as facções rivais palestinas, Fatah e Hamas, informou o New York Times. A decisão foi tomada de forma unânime pelos ministros do gabinete de Segurança, que realizaram hoje uma reunião convocada com caráter de urgência que se prolongou durante mais de cinco horas.

A decisão parece ter encerrado um esforço de nove meses do secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, para intermediar as discussões entre palestinos e israelenses. O prazo estipulado para a negociação de paz termina na próxima terça-feira.

Leia também

EUA ameaçam rever ajuda a palestinos em caso de governo com Hamas

Hamas e Fatah anunciam acordo para formar governo de coalizão

“O gabinete decidiu nesta tarde e de forma unânime que o governo de Israel não realize negociações com o governo palestino”, indica em comunicado enviado aos meios de comunicação. O texto insiste que a liderança palestina inclinou-se rumo ao movimento islamita Hamas, “uma organização terrorista que pede a destruição de Israel” e antecipa que o Executivo israelense responderá às “medidas unilaterais adotadas pela Autoridade Nacional Palestina” com uma série de sanções que não especifica.

Mesmo antes do anúncio oficial desta quinta, o ministro de Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, já havia adiantado que um possível acordo de paz com os palestinos tornara-se impossível diante do acordo entre o Hamas e o Fatah. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu afirmou que havia alertado o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, a não se reconciliar com o Hamas. Na quarta-feira, Netanyahu já tinha mostrado sua insatisfação com aproximação entre Abbas e o Hamas.

“Estamos tentando relançar as negociações com os palestinos e cada vez que chegamos a este ponto, Abbas põe condições adicionais que sabe que Israel não pode responder. Portanto, no lugar de tentar fazer a paz com Israel, movimenta-se para fazer a paz com o Hamas”, disse Netanyahu durante um encontro com o Ministro das Relações Exteriores da Áustria, Sebastian Kurz. “Tem que decidir. Quer a paz com o Hamas ou quer a paz com Israel. Pode conseguir uma, mas não ambas. Espero que eleja a paz, o que até agora não fez”, criticou Netanyahu.

Na reunião do gabinete de Segurança participaram o primeiro-ministro israelense, o titular da Defesa, Moshe Yaalon, e os líderes de todos os partidos na coalizão parlamentar que lidera o Likud, assim como assessores diplomatas e em assuntos de segurança. A decisão israelense ocorre depois do movimento nacionalista Fatah e do Hamas anunciarem a formação de um governo de união nacional, antes de 1º de junho, assim como a convocação de eleições gerais para janeiro de 2015.

(Com agência EFE)