Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Irmão e sobrinho de Ban Ki-moon são acusados de suborno nos EUA

Eles são acusados de subornarem um uma pessoa para que ela influenciasse na compra de um edifício

Por Da redação 11 jan 2017, 07h43

A Promotoria dos Estados Unidos acusa um irmão e um sobrinho do ex-secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, de tentativa de suborno a um funcionário do Oriente Médio em uma operação imobiliária. Em 2013, Ban Ki-sang, irmão de Ban Ki-moon, era um executivo da empresa de construção sul-coreana Keangnam e tinha a incumbência de vender o arranha-céu Landmark 72, em Hanói (Vietnã), por 800 milhões de dólares para sanear as contas da companhia.

Para isso, Ban Ki-sang contratou seu filho, e sobrinho de Ban Ki-moon, Joo Hyun Bahn, que trabalhava como intermediário financeiro em Nova York. De acordo com a acusação emitida na terça-feira pela Procuradoria Geral dos EUA no Distrito Sul de Nova York, Ban e Bahn estabeleceram contato com Malcolm Harris, quem se apresentou como um agente de um fundo de um país do Oriente Médio interessado na operação.

  • Pai e filho pactuaram um suborno de 2,5 milhões de dólares para o funcionário que devia adquirir a propriedade através de um fundo de investimento soberano, disse a promotoria em comunicado. Harris, no entanto, acabou ficando com 500.000 dólares. Joo Hyun Bahn também é acusado de roubar 225.000 dos 500.000 dólares que a Keangman tinha antecipado a sua empresa como comissão para a venda do edifício. Bahn foi detido nesta terça-feira em Nova Jersey, enquanto Ban e Harris seguem foragidos da Justiça.

    (Com agência EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade