Clique e assine a partir de 8,90/mês

Irmão e sobrinho de Ban Ki-moon são acusados de suborno nos EUA

Eles são acusados de subornarem um uma pessoa para que ela influenciasse na compra de um edifício

Por Da redação - 11 jan 2017, 07h43

A Promotoria dos Estados Unidos acusa um irmão e um sobrinho do ex-secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, de tentativa de suborno a um funcionário do Oriente Médio em uma operação imobiliária. Em 2013, Ban Ki-sang, irmão de Ban Ki-moon, era um executivo da empresa de construção sul-coreana Keangnam e tinha a incumbência de vender o arranha-céu Landmark 72, em Hanói (Vietnã), por 800 milhões de dólares para sanear as contas da companhia.

Para isso, Ban Ki-sang contratou seu filho, e sobrinho de Ban Ki-moon, Joo Hyun Bahn, que trabalhava como intermediário financeiro em Nova York. De acordo com a acusação emitida na terça-feira pela Procuradoria Geral dos EUA no Distrito Sul de Nova York, Ban e Bahn estabeleceram contato com Malcolm Harris, quem se apresentou como um agente de um fundo de um país do Oriente Médio interessado na operação.

Pai e filho pactuaram um suborno de 2,5 milhões de dólares para o funcionário que devia adquirir a propriedade através de um fundo de investimento soberano, disse a promotoria em comunicado. Harris, no entanto, acabou ficando com 500.000 dólares. Joo Hyun Bahn também é acusado de roubar 225.000 dos 500.000 dólares que a Keangman tinha antecipado a sua empresa como comissão para a venda do edifício. Bahn foi detido nesta terça-feira em Nova Jersey, enquanto Ban e Harris seguem foragidos da Justiça.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade