Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Irmã de Kim Jong-un visitará Coreia do Sul durante Olimpíada

Kim Yo-jong é a filha mais nova do ex-ditador Kim Jong-il e vice-diretora do Departamento de Propaganda norte-coreano

A irmã de 28 anos do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, fará sua estreia no palco mundial ao visitar a Coreia do Sul para comparecer à cerimônia de abertura da Olimpíada de Inverno de Pyeongchang na sexta-feira.

A Coreia do Norte notificou Seul de que Kim Yo-jong acompanhará Kim Yong-nam, o presidente da Assembleia Suprema, que lidera a delegação da Coreia do Norte e é o oficial norte-coreano do mais alto escalão a visitar o país vizinho.

Se realmente acontecer, a visita de Yo-jong, que é vice-diretora do Departamento de Propaganda e Agitação do Partido Único, seria a primeira de um membro da dinastia Kim à Coreia do Sul.

“A inclusão de Kim Yo-jong na delegação é significativa, já que não só é a irmã do líder da Coreia do Norte, senão que também ocupa um posto de peso no Partido dos Trabalhadores norte-coreano”, disse em um comunicado o Ministério de Unificação sul-coreano. Mesmo assim, o governo do Sul consultará a comunidade internacional sobre a visita, com o objetivo de que esta não cause “nenhuma controvérsia sobre as sanções”, acrescenta o comunicado.

Quem é Kim Yo-jong?

Poucas informações sobre a vida privada de Yo-jong são de conhecimento da comunidade internacional, porém se sabe que ela é a filha mais nova do ex-ditador Kim Jong-il. Cerca de quatro anos mais nova que Kim Jong-un, é muito próxima de seu irmão.

É casada com o filho de Choe Ryong-hae, o poderoso secretário do Partido dos Trabalhadores. Segundo a imprensa internacional, ela está na lista negra dos Estados Unidos por suas ligações com casos de abuso de direitos humanos na Coreia do Norte.

Delegação norte-coreana

Junto a Kim Yo-jong e Kim Yong-nam viajarão com outros vinte funcionários norte-coreanos, entre os quais se destacam Choe Hwi, presidente do Comitê Nacional de Planejamento Esportivo, e Ri Son-gwon, que lidera o organismo que administra as relações intercoreanas no Norte.

O próprio Ri participou das históricas conversas realizadas no mês passado, onde foi acertada a participação do Norte nos Jogos de Inverno, que acontecerão no condado sul-coreano de Pyeongchang, a partir do dia 9. Os dois países, que tecnicamente seguem em guerra há mais de 65 anos, concordaram também em desfilar lado a lado sob a mesma bandeira na abertura dos Jogos.

Ainda é desconhecido o papel da irmã de Kim Jong-un durante a visita, ainda que Seul já tenha admitido que o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, poderia propor um encontro bilateral com os chefes de Estado norte-coreanos. Se acontecer, será a primeira reunião intercoreana do mais alto escalão realizada em território sul-coreano.

Seul acredita que a participação norte-coreana em Pyeongchang pode ajudar a rebaixar a tensão regional e facilitar uma aproximação entre o regime e os Estados Unidos, que estarão representados nos Jogos pelo vice-presidente, Mike Pence.

(Com Reuters e EFE)