Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Irã suspende execução por apedrejamento de Sakineh

"O veredicto foi suspenso e está sendo revisto", disse porta-voz

As autoridades do Irã decidiram suspender a sentença de morte por apedrejamento de Sakineh Mohammadi Ashtiani – a iraniana condenada por adultério e participação no assassinato do marido -, informou nesta quarta-feira o ministro de Relações Exteriores do país.

“O veredicto foi suspenso e está sendo revisto”, disse o porta-voz da chancelaria Ramin Mehmanparast ao canal estatal Press TV. Na terça-feira, o governo do Irã havia advertido a comunidade internacional, em especial os países europeus, para que deixassem de interferir no caso que, segundo o regime dos aiatolás, “não é uma questão de direitos humanos”.

O caso – A iraniana Sakineh é mãe de dois filhos e havia sido condenada por manter “relações ilícitas” com dois homens após ficar viúva. Em 2006, ela levou 99 chibatadas pelo “crime”. No mesmo ano, um dos amantes foi condenado pelo homicídio do marido dela. O caso foi, então, reaberto, e ela foi sentenciada à morte por apedrejamento.

Em julho deste ano, seu advogado Mohammad Mostafaei tornou público o caso em um blog na internet, o que chamou a atenção da comunidade internacional. Perseguido pelas autoridades iranianas, ele fugiu para a Turquia, de onde buscou asilo político na Noruega. Para evitar críticas internacionais, o Irã mudou a condenação de Sakineh de adultério para assassinato. Logo depois, decidiu que ela vai responder, na verdade, pelas duas acusações.