Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Interpol pede prisão de ‘viúva branca’ por ataque a shopping

Samantha Lewthwaite, britânica de 29 anos convertida ao Islã, foi casada com um dos terroristas suicidas que explodiram o metrô de Londres em 2005

A Interpol emitiu nesta quinta-feira, a pedido das autoridades do Quênia, uma ordem de captura internacional contra a britânica Samantha Lewthwaite, apelidada de “viúva branca” pela imprensa inglesa. Lewthwaite, uma convertida ao islã de 29 anos, foi casada com Germaine Lindsay, um dos terroristas suicidas que perpetraram os atentados a Londres em 2005 – e que resultaram na morte de 52 pessoas.

De acordo com autoridades do Quênia, ela é suspeita de envolvimento com o grupo terrorista somali Al Shabab, que reivindicou nesta semana o ataque ao shopping Westgate, em Nairóbi. A ação resultou na morte de 61 civis e seis soldados. A ordem da Interpol, que tem o grau mais alto de alerta, foi emitida aos 190 países que fazem parte da entidade, para que possam executar a prisão e tomarem conhecimento “do perigo proporcionado” pela suspeita.

Algumas autoridades do Quênia, entre elas a ministra das Relações Exteriores, Amina Mohamed, afirmaram que uma “mulher branca” estava entre os terroristas que atacaram o shopping, levantando especulações de que tal pessoa pudesse ser Samantha. As informações sobre o caso seguem contraditórias, já que o ministro do Interior do Quênia, Joseph Ole Lenku, negou que houvesse mulheres no grupo. Uma conta no Twitter atribuída ao grupo Al Shabab também negou que houvesse mulheres entre os terroristas.

Leia também:

Ataque a shopping no Quênia liga alerta para ‘terrorista ocidental’

O mandado de prisão emitido não cita o ataque, mas diz que Samantha é procurada pela posse de explosivos e formação de quadrilha, acusações que foram feitas pela autoridades do Quênia em 2011, quando ela foi apontada como suspeita de envolvimento com um grupo que planejava realizar atentados no país. O grupo foi preso em um apartamento em Mombasa, no Leste do Quênia, antes de realizar qualquer atentado. Segundo as autoridades quenianas, uma mulher branca que foi identificada por testemunhas como sendo Samantha deixou o imóvel antes da chegada da polícia e não foi mais visita.

Passaporte – Informações divulgadas pelo governo sul-africano nesta semana indicam que em 2011 ela viajou pelo continente africano com um passaporte obtido de maneira fraudulenta com o nome Natalie Faye Webb.

Samantha conheceu Germaine Lindsay em um fórum na internet quando tinha 17 anos, dois anos depois de se converter ao Islã. À época dos atentados, ela disse estar horrorizada quando seu marido, nascido na Jamaica, detonou uma mochila cheia de explosivos e matou 26 pessoas em um vagão do metrô de Londres, em 7 de julho de 2005.

Naquele momento, Samantha estava grávida de sete meses do seu segundo filho. Ela descreveu o marido como “um marido bom e carinhoso, que não deu nenhum sinal de que iria cometer esse crime atroz”.