Clique e assine a partir de 9,90/mês

Prisão de Lula repercute na imprensa internacional

Washington Post abrandou o título inicial, segundo o qual ordem afunda "Brasil em caos político"

Por Da redação - Atualizado em 15 Maio 2018, 00h37 - Publicado em 5 abr 2018, 19h47

Poucos minutos após o anúncio de que o juiz Sergio Moro havia emitido um mandado de prisão contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a imprensa internacional começou a noticiar o fato. As primeiras notas vieram das agências internacionais de notícia Reuters (do Reino Unido) e Associated Press (também chamada de AP, dos Estados Unidos).

Ambas agências emitiram as notas em caráter de urgência para veículos de imprensa do mundo todo.

O texto da Reuters, em inglês, é sucinto e resume as informações conhecidas até aqui. Com o título de “Juiz brasileiro ordena que ex-presidente Lula seja preso até sexta-feira à tarde”, a agência destaca que Moro deu até o fim da tarde do dia 5 de abril para que Lula se entregue voluntariamente à Justiça.

Já o principal jornal da França e dos países de língua francesa, o Le Monde, destacou a emissão do mandado de prisão na capa de seu site em francês. Na notícia, o periódico explica que “condenado a doze anos e um mês de prisão por corrupção, o ícone da esquerda brasileira tem até sexta-feira à tarde para se apresentar à polícia”

Continua após a publicidade

O jornal francês diz que “Lula, presidente de 2003 a 2010, segue sendo o personagem político mais popular do Brasil, apesar de sua condenação em seis outros processos por corrupção impetrados contra ele”.

O influente jornal britânico de economia Financial Times também destacou o mandado de prisão, citando trechos traduzidos da ordem judicial expedida por Moro.

Em artigo intitulado “Com Lula fora, liderança do Brasil está totalmente em aberto”, a revista Forbes afirma que “se as chances do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de um terceiro mandato presidencial era de uma em dez, a decisão de ontem pelo STF agora a reduz a zero”. A Forbes ainda chama o Brasil de “terra dos recursos [judiciais]”.

Em extenso artigo, o jornal americano The Washington Post destaca que o mandado de Sergio Moro foi uma “atitude surpreendente que deve estimular amplos protestos em um país já balançado pela decisão do Supremo Tribunal Federal mais cedo durante o dia”.

Continua após a publicidade

O artigo recebeu inicialmente o título “Lula é condenado à prisão, afundando o Brasil em caos político antes de eleições presidenciais”, mas a manchete depois foi abrandada para: “Lula mandado à prisão, redesenhando o cenário político do Brasil antes da eleição presidencial.” O texto afirma que “a decisão dividida do STF reflete a opinião pública polarizada quanto a Lula, 72, uma figura carismática a quem se credita ter retirado 20 milhões da pobreza durante seus oito anos como presidente, mas quem também está envolto por acusações de crime”.

O artigo do periódico americano conclui, entretanto, que apesar do caos político momentâneo e da falta de liderança clara na esquerda brasileira para as eleições presidenciais de novembro, a decisão do STF de quinta-feira que abriu caminho para o pedido de prisão emitido por Moro, com o tempo, “trará a clareza esperada no cenário político do Brasil, que estava obscurecida por conta das incertezas sobre o destino de Lula”.

Publicidade