Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Grupo terrorista filipino ameaça decapitar alemães dia 17

De forma ultrajante, selvagens decepadores de cabeça chegam ao ponto de marcar dia e hora para a execução da barbárie contra reféns

Um grupo terrorista filipino teve a audácia de dar um ultimato nesta quinta-feira ao governo da Alemanha ameaçando decapitar dois reféns alemães na tarde do próximo dia 17 se suas exigências não forem atendidas. A organização Abu Sayyaf afirma que Stefan Okonek, médico de 71 anos, e Henrike Dielen, de 55 anos de idade, serão executados se Berlim não retirar seu apoio à coalizão internacional que luta contra o avanço do Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque. Os terroristas também exigem o pagamento de 5,6 milhões de dólares (quase 14 milhões de reais) em resgate.

Leia também:

Turquia aprova operação militar contra o EI

Ofensiva jihadista no Iraque já matou 9.347 civis em 2014

O grupo, que já teve laços com a Al Qaeda, operaria agora de maneira autônoma. Mas um dos chefes da organização já declarou lealdade ao EI, que avança na formação de um califado cruel, promovendo decapitações, crucificações e execuções sumárias. O Abu Sayyaf foi fundado na década de 1990 e, no ano 2000, sequestrou 21 turistas estrangeiros em uma ilha da Malásia. Ficou conhecido pelos sequestros e também por atentados a bomba. A organização foi fundada por Abdurajak Abubakar Janjalani, morto em 1998, e tem como foco atacar o governo do país e os católicos.

A Alemanha descartou participar dos ataques aéreos contra alvos do EI no Oriente Médio, mas enviou armas a combatentes curdos que enfrentam os terroristas. Berlim também defendeu uma “estratégia política” contra a organização.

Leia mais:

Grupo ligado ao EI decapita refém francês na Argélia

Jihadistas divulgam terceiro vídeo com o refém britânico

As autoridades filipinas informaram que os reféns foram sequestrados em abril, em meio a uma viagem de barco desde a Malásia. Eles foram levados quando estavam na embarcação, perto da ilha de Palawan, no oeste filipino. Acredita-se que eles sejam mantidos na selva de Jolo, uma remota região no sul das Filipinas infestada por extremistas islâmicos.

Panfletos – Alvo dos ataques da coalizão internacional, o Estado Islâmico está conclamando muçulmanos a jurarem lealdade ao chefe do grupo, Abu Bakr al-Baghdadi. Panfletos defendendo a formação de um califado estão sendo distribuídos pela internet. “Não seria o momento de se unir aos seus irmãos? Estabelecer e elevar seu Estado? O inimigo tem aliados para combater você, então se una para combatê-lo”, diz o texto formulado pelos terroristas.

A campanha liderada pelos Estados Unidos tem levado alguns membros do grupo afiliado à Al Qaeda na Síria, a Frente Nusra, a pressionarem os chefes da organização para que se reconciliem com o EI, depois de os dois grupos terem se desentendido este ano.

(Com agência Reuters)