Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Greve em aeroportos cancela 1.800 voos na França

Controladores de tráfego aéreo são contra planos de 'Céu Europeu Único'

Por Da Redação 11 jun 2013, 10h52

Os controladores franceses de tráfego aéreo abandonaram o trabalho no início de uma greve de três dias nesta terça-feira, provocando o cancelamento de 1.800 voos em todo o país. Os controladores protestam contra os planos da União Europeia de estabelecer um “Céu Europeu Único” – eles acreditam que a liberalização do espaço aéreo civil afetará negativamente suas condições de trabalho.

Leia também:

Leia também: Lufthansa anula quase todos os voos por greve dos funcionários

Dos 7.650 voos agendados para esta terça-feira, 1.800 foram cancelados, de acordo com a autoridade de aviação civil da França. O número de voos afetados para aeroportos que servem Paris, Lyon, Nice, Marselha, Toulouse e Bordeaux ficou abaixo da estimativa inicial de 50%.

O aeroporto de Marselha, no sul da França, informou em seu site que foi menos afetado do que outros, com 100 voos, ou cerca de um terço, cancelados. Mais de 70 voos foram cancelados no aeroporto de Nice. A empresa britânica Easyjet disse que estava cancelando 35 voos para Paris, 11 para Toulouse e outros para Marselha, Bordeaux e Nice.

Continua após a publicidade

Saiba mais:

Saiba mais: Iberia cancela 230 voos no segundo dia de greve

A Air France disse que estava cancelando um número indeterminado de voos de curto e médio cursos. Os preparativos para o voo inaugural do mais novo jato de passageiros da Europa, o Airbus A350, também foram afetados pela greve, disseram fontes do setor de Transportes na segunda-feira.

“Globalmente, a situação é bastante calma nos aeroportos, pois as medidas adotadas com antecedência permitem a presença apenas dos passageiros que podem embarcar”, afirmou um porta-voz da Direção Geral da Aviação Civil (DGAC). O Sindicato Autônomo de Controladores Aéreos (SNCTA) convocou a greve para denunciar “as consequências diretas na política nacional das obrigações europeias” para o setor.

(Com agências France-Presse e Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade