Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Greta Thunberg rebate ofensas ‘perturbadoras’ de jornalista

Com apenas 16 anos, sueca ganhou fama no mundo ao alertar sobre mudanças climáticas

Por Da Redação Atualizado em 2 ago 2019, 13h30 - Publicado em 2 ago 2019, 13h27

A ativista ambiental sueca Greta Thunberg, de 16 anos, respondeu nesta sexta-feira, 2, o jornalista australiano Andrew Bolt, que escreveu no jornal Herald Sun uma coluna em que faz pouco caso da condição de saúde de Greta, que é diagnosticada com Síndrome de Asperger.

Greta postou no Twitter que estava “perturbada” com as “campanhas de ódio e conspiração” dirigidas a ela por negacionistas do clima. Não é a primeira vez que a jovem ativista é atacada por suas posições. Em maio deste ano, o partido de extrema-direita alemão, Alternativa para Alemanha (AfD), disse que ela era “mentalmente atrasada”.

Bolt, em seu texto, insinua que os seguidores de Greta formam uma espécie de “culto”, classificando-a como uma “messias extremamente perturbada” e que nunca viu “uma garota tão jovem com tantos problemas mentais ser tratada como guru pelos adultos”. Thunberg, na resposta, afirma que só recebe esses ataques pois os jovens estão ao lado da ciência. “Onde estão os adultos?”, questionou.

Ao ser perguntada sobre a relação entre sua condição e a militância, Greta disse, em entrevista a VEJA, que “ser diferente é uma dádiva”. Segundo ela, a Síndrome de Asperger a possibilitou se concentrar e se focar totalmente no assunto. “Direcionei minha dedicação a me sentar, ler, compreender […] A partir dessa ação individual é que o assunto ganhou a atenção do mundo”, afirmou.

Greta, que ganhou fama após protestar sozinha em frente ao Parlamento sueco e iniciou um movimento mundial contra a mudança climática, planeja participar de manifestações climáticas de larga escala e falar em uma cúpula de ação climática da Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 23 de setembro.

  • Para isso, ela irá atravessar o Oceano Atlântico em um iate com o objetivo de fazer uma viagem que não gere emissões de carbono — a embarcação é equipada com painéis solares. A travessia tem duração de duas semanas e não poderá contar com praticamente nenhum conforto, pois a embarcação é preparada para competições e não longas jornadas.

    Continua após a publicidade
    Publicidade