Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo britânico ganha votação parlamentar sobre o Brexit

Câmara dos Comuns rejeitou uma emenda à lei do Brexit que dava ao Parlamento capacidade de vetar o desfecho das negociações com a União Europeia

A primeira-ministra  do Reino Unido, Theresa May, evitou, nesta terça-feira (12), que o Parlamento tivesse a última palavra sobre o Brexit, após fazer concessões aos deputados conservadores pró-europeus.

A Câmara dos Comuns rejeitou, por 324 a 298, uma emenda à lei do Brexit que dava ao Parlamento capacidade de vetar o desfecho das negociações com Bruxelas. A proposta era motivada pelo temor de que o país saísse da União Europeia sem um acordo.

A concessão de May para discutir as mudanças pode significar que os parlamentares terão mais poder caso ela não consiga assegurar um acordo para o Brexit, possivelmente levando a uma abordagem mais suave para o divórcio do Reino Unido com a Europa.

Apoiadores do Brexit ainda expressam preocupação de que a concessão possa abrir a porta para a UE tentar forçar o Reino Unido a manter os laços mais próximos possíveis com o bloco ao enfraquecer o peso do governo nas conversas. Parlamentares pró-UE elogiaram isso como um sinal de que o governo está desistindo de um Brexit “sem acordo”.

Com as concessões, foi encerrada uma rebelião que teria desafiado a autoridade de May em um momento em que ela está sob crescente pressão para avançar nas conversas estagnadas sobre o Brexit em Bruxelas. Mais cedo, o ministro responsável pela condução da saída do Reino Unido da Europa, David Davis, disse ao Parlamento que uma derrota iria enfraquecer negociações com Bruxelas e alertou parlamentares de que o governo nunca iria permitir que eles “revertessem o Brexit”.

(Com AFP e Reuters)