Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Theresa May sofre importante derrota sobre Brexit no Parlamento

Emenda apresentada pela câmara alta britânica exige que o governo apresente até outubro as medidas que tem tomado para manter uma união aduaneira com a UE

A câmara alta do Parlamento do Reino Unido impôs uma derrota embaraçosa ao governo de Theresa May nesta quarta-feira, desafiando sua negação em permanecer em uma união aduaneira com a União Europeia após o Brexit. May afirmou que o Reino Unido irá deixar o mercado comum e a união aduaneira da União Europeia após sua saída do bloco em março para que Londres possa forjar seus próprios acordos de livre comércio.

Esta postura ampliou divisões não somente dentro de seu próprio partido, o Conservador, mas em ambas as câmaras do Parlamento, encorajando a Câmara dos Lordes, onde seus conservadores não comandam uma maioria, a entregá-la a derrota. Britânicos em geral permanecem profundamente divididos desde a acirrada votação de junho de 2016 para deixar a União Europeia.

Por 348 a 225 votos, os Lordes apoiaram uma emenda aos planos de May para o Brexit, o projeto de lei de saída da União Europeia, exigindo que ministros relatem até o final de outubro quais esforços fizeram para assegurar uma união aduaneira. A emenda não diz explicitamente que os britânicos precisam chegar a um acordo sobre tal união e uma fonte do governo disse que isto não irá alterar políticas.

O lorde John Kerr, um apoiador da permanência na União Europeia no referendo de 2016, abriu um debate ao dizer que o governo deve ser solicitado a explorar a possibilidade de assegurar uma união aduaneira para limitar “os danos ao bem-estar do país”. Seus comentários foram recebidos por críticas de que a emenda é “uma tentativa de destruir este projeto de lei e destruir o Brexit”.

Uma porta-voz do Ministério do Brexit expressou frustração com a emenda, dizendo que “o propósito fundamental deste projeto de lei é preparar nosso livro de estatutos para o dia da saída, não é sobre os termos da nossa saída”.

Esta é a primeira de diversas derrotas que o governo deve sofrer nas próximas semanas na Câmara dos Lordes nos estágios restantes do debate.

Após a Câmara dos Lordes, o projeto de lei irá retornar à Câmara dos Comuns, possivelmente já no próximo mês. Ambas câmaras precisam concordar sobre a redação final do projeto antes que seja transformado em lei.