Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Governador da Califórnia alerta para falta de leitos de UTI por Covid-19

Em projeções apresentadas nesta segunda-feira, democrata Gavin Newsom afirmou que hospitais podem ficar perigosamente perto de lotação por volta do Natal

Por Caio Saad 30 nov 2020, 20h03

Em projeções apresentadas nesta segunda-feira, 30, o governador da Califórnia, o democrata Gavin Newsom, afirmou que Unidades de Terapia Intensiva (UTI) do estado podem ficar sobrecarregadas em meados de dezembro, com hospitais perigosamente perto de lotação por volta do Natal. O peso da pandemia de Covid-19 pode ser pior nas áreas que já são mais afetadas, como o Vale de San Joaquin, onde é projetado que hospitais cheguem a 83% de suas capacidades até 24 de dezembro. 

“Se as tendências continuarem, a Califórnia precisará tomar ações drásticas”, disse Newsom durante videoconferência, acrescentando que mais restrições podem ser impostas nos próximos dias, incluindo uma ordem para que pessoas não deixem suas casas. 

No domingo, o estado se tornou o primeiro nos Estados Unidos a registrar mais de 100.000 casos em uma semana, de acordo com uma base de dados do jornal The New York Times. Ao todo, a Califórnia soma mais de 1,2 milhão de casos, incluindo 19.151 mortes.

O estado já está sob um toque de recolher, no qual cidadãos devem permanecer em casa entre 22h e 5h da manhã. A medida, que entrou em vigor em 21 de novembro, se aplica a 94% da população, tendo como principal exceção a cidade de São Francisco. 

Autoridades de Los Angeles, segunda maior cidade do país, foram ainda mais rígidas. Nesta segunda-feira, entrou em vigor uma restrição de todas as reuniões, exceto aquelas organizadas para fins religiosos ou de protesto, para impedir o avanço do novo coronavírus. A medida durará ao menos três semanas, até 20 de dezembro, segundo o Departamento de Saúde Pública local.

Los Angeles registrou mais de 7.600 mortes por coronavírus – mais de um terço de todo o estado da Califórnia – embora o vírus seja cada vez mais prevalente em áreas rurais remotas do estado.

O número total de casos do novo coronavírus nos EUA superou quatro milhões no sábado, mais que o dobro do recorde batido em outubro, de 1,9 milhão de casos. Em fala no domingo, o imunologista-chefe da Casa Branca, Anthony Fauci, alertou que o número pode crescer com ainda mais força por conta do feriado do Dia de Ação de Graças, que motivou o deslocamento de milhões de pessoas no país.

“Em duas ou três semanas, poderemos ver um novo surto além do surto atual” de novas infecções pelo novo coronavírus, alertou em declarações ao canal ABC. Fauci é diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas e uma respeitada personalidade científica. 

Na quinta-feira passada, as famílias celebraram o Dia de Ação de Graças, que levou pelo menos 1,1 milhão de pessoas a viajar de avião – um recorde desde que a pandemia começou no país, em março, segundo dados da agência TSA, encarregada dos controles de segurança nos aeroportos.

Continua após a publicidade
Publicidade