Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Feridos em tiroteio em NY foram baleados pela polícia

Agentes enfrentaram suspeito que matou ex-colega em frente ao Empire State

As nove pessoas feridas no tiroteio de sexta-feira próximo ao Empire State Building de Nova York foram atingidas por balas e fragmentos dos disparos feitos pelas forças de segurança para matar o agressor, confirmou neste sábado o chefe da polícia, Raymond Kelly. No tiroteio, um ex-empregado da Hazan Imports, demitido há dois anos, matou a tiros um ex-companheiro de trabalho no centro de Manhattan.

Três dos feridos durante o tiroteio, que aconteceu em frente a um dos pontos turísticos mais importantes da cidade, continuavam hospitalizados em estado “estável”, disse um porta-voz da polícia. Os dois oficiais que enfrentaram o agressor, identificado como Jeffrey Johnson, de 58 anos, dispararam 16 vezes, segundo fontes policiais.

Um dia depois do tiroteio no Empire State, continuam surgindo detalhes da vida de Jeffrey Johnson e sua história de inimizade com Steve Ercolino, de 41 anos, a quem matou na porta da empresa onde trabalhavam juntos há mais de um ano. O assassino, um designer de acessórios femininos, havia sido despedido em 2011 da empresa Hazan Imports após seis anos de trabalho e levava desde então uma solitária vida em um apartamento no Upper East Side, no nordeste de Manhattan.

Na noite de sexta, a polícia divulgou imagens de circuitos de segurança que mostram o momento em que Johnson saca sua arma e inicia a troca de tiros com os policiais, entre a rua 34 e a 5ª Avenida. Assista, no vídeo abaixo:

Personalidade – Johnson foi descrito por ex-colegas como um homem meticuloso e “excêntrico”, que era o primeiro a chegar e o último a ir embora da empresa, dedicada à venda de carteiras e cintos para mulheres. Sua vítima, um dos encarregados de vendas da companhia, era uma pessoa popular no escritório. Segundo a imprensa local, que cita a empregados da empresa, os dois ex-colegas nunca se deram bem.

Johnson foi despedido como parte de um ajuste orçamentário após uma queda nas vendas e desde então passava a maior parte do tempo em seu apartamento, saindo só de manhã para buscar o café da manhã em um McDonald’s próximo, sempre vestindo um traje cinza.

Meses depois de ser despedido, Johnson se dirigiu pela primeira vez a seu ex-trabalho e protagonizou um incidente com Ercolino, que foi empurrado e revidou. Logo depois desse reencontro, em abril de 2011, ambos fizeram queixas à polícia por ameaças de morte de cada um. Contudo, o agressor e a vítima não voltaram a se encontrar até sexta-feira, quando vestindo seu traje cinza habitual, Johnson voltou a seu antigo trabalho e matou Ercolino com vários tiros na porta da empresa.

(Com agência France-Presse)