Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Família de dono da Samsung doa obras de arte para abater imposto

A viúva e os três filhos de Lee Kun-hee devem pagar 10,8 bilhões de dólares em tributos sobre herança na Coreia do Sul

Por Da Redação Atualizado em 28 abr 2021, 13h47 - Publicado em 28 abr 2021, 12h42

A família de Lee Kun-hee, fundador da Samsung, morto em outubro do ano passado, anunciou que vai doar sua coleção de obras de arte, incluindo Picassos e Dalis, para pagar bilhões de dólares em impostos sobre herança. Os parentes do empresário sul-coreano também destinarão centenas de milhões de dólares para projetos médicos e pesquisas cientificas.

A viúva e os três filhos de Lee devem pagar 10,8 bilhões de dólares em impostos sobre herança, que é mais da metade da riqueza que o empresário tinha em ações e imóveis. Esta seria a maior quantia paga por esse tipo de imposto na Coreia do Sul e mais de três vezes a receita total do imposto de propriedade do país no ano passado.

Distribuir a coleção de obras-primas do presidente reduziria as porções tributáveis ​​de seu patrimônio. A família planeja parcelar o pagamento em seis vezes ao longo de cinco anos, começando este mês. “É nosso dever cívico e responsabilidade pagar todos os impostos”, disse a família Lee em um comunicado. Eles tinham até sexta-feira para relatar a extensão dos planos de herança e pagamento às autoridades fiscais.

Lee possuía 4,18% da Samsung Electronics, que é uma das maiores fabricantes mundiais de chips de memória para computador e smartphones, e também tinha participações em afiliadas da empresa. A complexa estrutura acionária permitiu a Lee e sua família exercer amplo controle sobre o grupo.

O preço das ações da Samsung C&T Corp – a holding de fato do conglomerado Samsung – caiu até 5,5% após o comunicado, que não forneceu detalhes sobre como as ações de Lee seriam distribuídas ou vendidas. A Samsung não mencionou como a viúva e os filhos de Lee dividiriam seus ativos, e há especulações de que eles não chegaram a um acordo final.

Coleção de arte

A família planeja doar 23.000 peças de arte da coleção pessoal de Lee para dois museus estatais. O acervo inclui pinturas coreanas antigas, livros e outros bens culturais designados como tesouros nacionais, e pintores coreanos modernos, como Park Soo-keun e Lee Jung-seop. Há também as obras de Marc Chagall, Pablo Picasso, Paul Gauguin, Claude Monet, Joan Miro e Salvador Dali.

Tela de Monet
“Le Bassin Aux Nympheas”, de Monet National Museum of Modern and Contemporary Art/Divulgação

O Museu Nacional de Arte Moderna e Contemporânea disse que as 1.488 peças que recebeu da família Lee foram sua maior doação privada. As obras incluem “Bull”, de Lee Jung-seop, “Familia de centauros marsupiales”, de Dali, “Le Bassin Aux Nympheas”, de Monet, e “Les Amoureux Aux Bouquets Rouges”, de Chagall. O Museu Nacional da Coreia receberá cerca de 21.000 peças da coleção de arte tradicional coreana de Lee, incluindo pinturas, cerâmicas e esculturas.

Continua após a publicidade
Publicidade