Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA podem enviar tropas para linha de frente na Síria e Iraque

O governo dos Estados Unidos está avaliando a possibilidade de posicionar tropas na linha de frente dos combates na Síria e no Iraque, divulgou nesta terça-feira o jornal The Washington Post. De acordo com a publicação, conselheiros de segurança nacional recomendaram ao presidente Barack Obama uma mudança na ação dos militares americanos para combater o avanço do grupo extremista Estado Islâmico (EI).

A mudança, que pode representar uma significante escalada do papel dos EUA nas guerras da Síria e do Iraque, precisa do aval de Obama, que deve tomar uma decisão sobre o tema ainda nesta semana. Não se sabe, porém, qual o número de militares extras necessários para a possível nova missão, mas fontes próximas às discussões em Washington afirmam que seria um contingente reduzido.

Leia também

Tony Blair reconhece responsabilidade em surgimento do Estado Islâmico

Comandos americanos e curdos invadem prisão do EI no Iraque e libertam 70 reféns

EUA criticam Putin por receber Assad ‘com tapete vermelho’

A proposta que chegou a Obama reflete a preocupação do presidente e de seus conselheiros com a força do EI na Síria e no Iraque, onde o grupo já estabeleceu um califado, e a necessidade de novas ideias para combater o terrorismo. A lista de opções entregue ao mandatário foi criada por comandantes e editada pelo secretário de Defesa, Ashton Carter, e pelo secretário de Estado, John Kerry, em uma série de encontros realizados nas últimas semanas.

Desde o ano passado, os EUA lideram uma coalizão internacional que bombardeia alvos do EI na Síria e no Iraque. Em setembro, porém, a Rússia começou a atacar o território sírio de maneira independente, despertando críticas de países ocidentais, que acusam os russos de atacarem majoritariamente rebeldes opositores ao regime do ditador Bashar Assad, e não o EI.

(Da redação)