Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

EUA: deserção de premiê mostra que Assad perdeu poder

Ministro jordaniano nega que antigos aliados de Assad estejam no país

Por Da Redação 6 ago 2012, 13h01

A deserção do primeiro-ministro sírio mostra que o ditador Bashar Assad perdeu o controle de seu país, e que seu povo acredita que seus dias no governo estão contados, afirmou nesta segunda-feira um porta-voz do governo americano. Fontes da oposição síria afirmaram que o primeiro-ministro Riad Hijab, sua família, três ministros e oficiais do exército desertaram e se refugiaram na Jordânia na noite de domingo.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março de 2011 para protestar contra o regime de Bashar Assad.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram milhares de pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

“Os relatórios de hoje que apontam que vários membros de alto escalão do regime de Assad, incluindo o primeiro-ministro Riad Hijab, desertaram, são apenas o último indício de que Assad perdeu o controle da Síria, fortalecendo as forças da oposição e o povo sírio”, afirmou o porta-voz de segurança nacional da Casa Branca, Tommy Vietor. “A deserção demonstra que o povo sírio acredita que os dias de Assad estão contados”, afirmou.

“Tentaremos confirmar estas informações. Mas se forem certas, estas deserções seriam mais uma prova de que o regime de Assad afunda”, disse um funcionário americano em Johannesburgo que acompanha a visita da secretária de Estado, Hillary Clinton.

Deserção – Nomeado há menos de dois meses, Hijab é o mais graduado aliado de Bashar Assad a desertar desde o início do levante, em março de 2011. O porta-voz de Hijab, Mohammed Aetri, afirmou ao canal de TV Al Jazeera que o primeiro-ministro conseguir fugir em “uma complicada operação com ajuda do Exército Livre Sírio”. Em comunicado lido por Aetri, Hijab diz que se desligou do “regime assassino e terrorista” e que se uniu ao “grupo da revolução da liberdade e dignidade”. Por sua vez, a televisão estatal síria disse que Assad destituiu Hiyab ontem à noite e o substituiu pelo engenheiro Omar Galauanyi, vice-primeiro-ministro e titular de Administração Local.

Porém, o ministro para Assuntos de Comunicação da Jordânia, Samih Maaytah, disse nesta segunda-feira que Hijab “não entrou em território jordaniano até agora”, como havia dito a oposição síria. “Até o momento não temos informação oficial sobre este assunto. Temos que esperar um tempo antes de responder”, explicou Maaytah.

(Com agências EFE e France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade