Clique e assine a partir de 9,90/mês

Estados Unidos vão enviar 275 soldados para o Iraque

Obama afirmou que tropas vão proteger embaixada do país em Bagdá, mas também estão equipadas para o combate

Por Da Redação - 16 jun 2014, 21h31

Os Estados Unidos vão enviar 275 soldados ao Iraque para “fornecer apoio e segurança a funcionários americanos” e à embaixada do país em Bagdá. Em carta enviada ao Congresso, o presidente Barack Obama afirma que as tropas estão equipadas para o combate: “Essas forças permanecerão no Iraque até que a situação de segurança evolua a ponto de elas não serem mais necessárias”.

O país enfrenta uma ofensiva de jihadistas do Estado Islâmico do Iraque e o Levante (EIIL) que mergulhou o Iraque em sua pior crise desde que os EUA se retiraram do país.

Leia também:

Fotos indicam que jihadistas teriam executado dezenas de soldados

Exército barra avanço de sunitas radicais no Iraque

Extremistas capturam duas cidades próximas de Bagdá

Continua após a publicidade

O documento também assinala que parte das tropas já começou a ser enviada no domingo. Entre cinquenta e cem soldados já chegaram à embaixada americana em Bagdá, segundo informação da rede CNN.

Os militares que serão deslocados para o Iraque vão ajudar nos esforços para realocar temporariamente alguns funcionários americanos para representações em outras localidades do país, como Basra e Erbil, e também para a Jordânia. No domingo, a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki, afirmou que parte do pessoal diplomático foi retirada da capital iraquiana, mas a maior parte permanece em Bagdá.

Na sexta-feira, Obama afirmou que ainda estava considerado as opções para lidar com a escalada de violência no Iraque e salientou que o envio de tropas não estava entre elas.

Saiba mais:

No Iraque, terrorismo mostra força e instabilidade persiste

O EIIL é uma aliança de organizações radicais nascida sob os auspícios da Al Qaeda em território iraquiano em outubro de 2006, durante a ocupação americana. Em abril de 2013, o Estado Islâmico do Iraque acrescentou ‘e do Levante’ ao seu nome e anunciou que começaria a operar também na Síria, o que colocou o grupo em rota de colisão com a cúpula da Al Qaeda, que pede que o grupo limite suas ações ao Iraque. O objetivo do EIIL, considerado ainda mais radical que a Al Qaeda, é criar um emirado islâmico num região entre a Síria e o Iraque. A organização tem seu principal ponto de resistência na província iraquiana de Anbar, no oeste do país, de maioria sunita e cenário de fortes enfrentamentos com o Exército nos últimos meses.

(Com agência Reuters)

Mapa da área de influência do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL)
Mapa da área de influência do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) VEJA
Continua após a publicidade
Publicidade