Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Embaixadora dos EUA no Brasil: Haverá eleições livres apesar de Bolsonaro

Durante sabatina no Senado, a indicada de Joe Biden, Elizabeth Bagley, defendeu as instituições democráticas e combate ao desmatamento

Por Amanda Péchy 18 Maio 2022, 15h24

A indicada pelo presidente Joe Biden para ser a nova embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Elizabeth Bagley, cutucou o governo de Jair Bolsonaro durante sua sabatina no Senado americano nesta quarta-feira, 18. A diplomata disse que as eleições deste ano no Brasil devem passar por dificuldades, mas que confia nas instituições democráticas do país.

“Se for confirmada, afirmarei nossa confiança nas instituições democráticas e no sistema eleitoral do Brasil e na importância de manter a confiança pública nesse sistema antes das eleições nacionais de outubro no Brasil”, afirmou durante seu discurso.

“Reforçarei o compromisso dos Estados Unidos de fortalecer a democracia, os direitos humanos e o Estado de Direito no Brasil”, acrescentou.

Depois do discurso de abertura, quando questionada durante a sabatina sobre os repetidos ataques de Bolsonaro ao sistema eleitoral brasileiro, declarou: “Bolsonaro tem dito muitas coisas, mas o Brasil é uma democracia. Tem Judiciário e Legislativo independentes, liberdade de expressão. Eles têm todas as instituições democráticas para realizar eleições livres e justas.”

“Sei que não será um momento fácil, muito em razão dos comentários [de Bolsonaro]. Apesar disso, há uma base institucional”, disse, fazendo referência à possibilidade “a la Trump” do presidente questionar os resultados eleitorais em caso de derrota.

Continua após a publicidade

Em seu discurso, Bagley também tocou em outra deficiência do atual governo brasileiro: a conservação ambiental. A perda de floresta amazônica em 2021 foi a pior dos últimos quinze anos e o volume de multas do Ibama, 80% menor.

“O Brasil abriga 30% das florestas tropicais do mundo, incluindo 60% da Amazônia, a maior e mais biodiversa floresta tropical do mundo. Uma das minhas principais prioridades será incentivar os esforços para aumentar a ambição climática, reduzir drasticamente o desmatamento, proteger os defensores da floresta e processar crimes ambientais e atos de violência relacionados”, disse a indicada de Biden.

A área ambiental ganhou papel central nas relações dos Estados Unidos com o Brasil depois que Biden chegou à Casa Branca, juntando-se a países europeus na pressão internacional para que o governo brasileiro trabalhe para conservar a Amazônia. Bagley, inclusive, foi assessora de John Kerry, o principal conselheiro de Biden para questões ambientais.

A diplomata ainda precisa do aval da Comissão de Relações Exteriores e da aprovação do Senado para assumir o cargo. Senadores indicaram que querem concluir o processo a tempo do pleito de outubro, porque governo americano avalia que o pleito tende a ser conturbado.

Segundo investigação da agência de notícias Reuters, o diretor da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA), William Burns, alertou no ano passado os membros do gabinete de Jair Bolsonaro que eles e o presidente deveriam parar de questionar o sistema eleitoral do Brasil quanto às eleições de outubro.

Diplomata de longa data, além de ter assessorado John Kerry, também foi assessora-sênior de Hillary Clinton durante a gestão de Barack Obama e de Madeleine Albright, no governo de Bill Clinton. Ela também foi embaixadora de Portugal e representante especial para a Assembleia-Geral das Nações Unidas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)