Clique e assine a partir de 9,90/mês

Embaixador venezuelano reage após ministro japonês apoiar Guaidó

Representante do país sul-americano em Tóquio afirmou que asiáticos querem seguir mantendo relações com Nicolás Maduro

Por EFE - 20 fev 2019, 05h58

O embaixador da Venezuela em Tóquio, Seiko Ishikawa, negou, nesta quarta-feira 20, que o governo do Japão tenha reconhecido Juan Guaidó como presidente interino de seu país e disse que as autoridades japonesas querem continuar trabalhando com o governo “legítimo” de Nicolás Maduro.

O diplomata respondeu desta forma as declarações do ministro das Relações Exteriores japonês, Taro Kono, que na terça expressou o “apoio claro” do Japão ao presidente “interino” da Venezuela, Juan Guaidó.

Ishikawa se reuniu ontem na sede do Ministério das Relações Exteriores japonês com “funcionários da chancelaria”, que “destacaram que essa decisão do governo não implicava no reconhecimento do deputado Guaidó como presidente interino”, afirmou o embaixador venezuelano em entrevista coletiva.

O diplomata insistiu que as autoridades japonesas, que não se identificaram, “foram categóricas em afirmar que conhecem muito bem as implicações legais” desta decisão “e finalmente expressaram sua disposição de continuar trabalhando com o presidente legítimo e constitucional da Venezuela, que é o senhor Nicolás Maduro”, acrescentou.

Continua após a publicidade

Ele também disse que, além da “leitura” que os veículos de imprensa deram às declarações de Kono, “o Japão não se juntou aos países que reconheceram Guaidó como presidente interino”.

Nas suas palavras ontem, o chanceler japonês também afirmou que o Japão apoia “que haja eleições presidenciais de maneira livre e justa o mais rápido possível”.

Publicidade