Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em último comício, Maduro canta própria vitória em eleições

Presidente promete reparar os erros da própria revolução e dar estabilidade à abalada economia venezuelana

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse prever uma vitória decisiva nas eleições do fim de semana, que provocaram ampla condenação internacional. Nesta quinta-feira, o chavista concluiu sua campanha com um discurso energizado em Caracas, diante dos aplausos de milhares de apoiadores.

No entanto, diversas nações, incluindo os Estados Unidos, rejeitaram as eleições gerais, apontando que o pleito é fraudulento e que tem como finalidade garantir um segundo mandato de seis anos a Maduro, apesar da economia em colapso.

Diante das críticas, Maduro prometeu reparar os erros cometidos na chamada “revolução bolivariana” e conseguir a prosperidade econômica que não obteve em seis anos de governo, tempo no qual o país afundou em uma profunda crise.

Com uma longa carreira dentro da administração pública, desenvolvida nos últimos 20 anos, Maduro, de 56 e que se orgulha de ser o “presidente operário” que nunca pisou em uma universidade, chega nesta campanha eleitoral como o “candidato da pátria”.

Em cada comício, ele promete que, se tiver 10 milhões de votos, garantirá a paz no país e dará estabilidade à abalada economia venezuelana.

“Confiem em mim, eu vou fazer. Eu, Nicolás Maduro. Eu, Nicolás povo. Eu, força revolucionária, neste tempo histórico, juro diante de vocês”, disse recentemente o chefe de Estado que havia feito uma promessa similar em 2014, um ano antes de ser eleito presidente.

Apoio

Nesta quinta-feira, durante seu último comício, Maduro contou com o apoio do ex-jogador de futebol argentino Diego Maradona, que subiu ao palco com o presidente, dançando e agitando uma bandeira venezuelana.

Maduro também recebeu a aprovação do presidente da Turquia, Tayyip Erdogan. Em uma conversa exibida ao vivo em uma tela dividida na televisão estatal nesta quinta-feira, os dois líderes tiveram uma conversa artificial e traduzida que passou por vários problemas técnicos.

“Desejo a você muito sucesso na próxima eleição, e um mês depois acho que teremos sucesso na Turquia. Uma de minhas primeiras tarefas será uma visita de Estado à Venezuela”, disse Erdogan. “Tenho fé de que você triunfará”.

Por sua vez, Maduro disse a Erdogan que “os venezuelanos vão dar uma lição sobre democracia e liberdade para o mundo no domingo”.

(Com Estadão Conteúdo e EFE)