Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Em primeiro debate eleitoral, Boris Johnson promete Brexit rápido

O premiê atacou o líder da oposição, Jeremy Corbyn, por sua indecisão sobre a saída do Reino Unido da União Europeia

Por Da Redação - Atualizado em 20 nov 2019, 13h30 - Publicado em 20 nov 2019, 13h29

O primeiro-ministro Boris Johnson confrontou seu rival e líder trabalhista, Jeremy Corbyn, nesta terça-feira, 19, no primeiro debate das eleições britânicas. O premiê redobrou suas promessas para o Brexit, dizendo que apenas ele pode retirar o Reino Unido da União Europeia (UE) de maneira rápida.

Johnson disse que o acordo de saída negociado com a UE está “pronto para o forno” e prometeu liderar a saída dos britânicos do bloco até 31 de janeiro, como ficou definido após a última e quarta prorrogação concedida pelos europeus no final de outubro.

O premiê ainda atacou Corbyn por sua indecisão sobre o Brexit. “Nós não sabemos para qual lado [do Brexit, se a favor da saída ou de uma eventual permanência] o senhor Corbyn faria campanha”, disse.

O líder trabalhista afirma que, em caso de vitória, negociará um novo acordo com a UE. Este texto seria, então, submetido a referendo nos seis meses seguintes à sua chegada ao poder. Esta consulta também contaria com a opção de se votar para o Reino Unido permanecer no bloco.

Publicidade

Em seus ataques contra Johnson, Corbyn criticou as promessas do premiê de firmar acordos comerciais com a UE e com os Estados Unidos pós-Brexit. O trabalhista mostrou ao público um documento que relata uma reunião do dia 13 de novembro de 2017 — quando Johnson ainda não era premiê — entre o ministério de Comércio Internacional britânico e negociadores do governo americano.

Corbyn, então, acusou Johnson de garantir “acesso irrestrito” à entrada da iniciativa privada internacional no National Health Service, o sistema público de saúde do Reino Unido.

“Você vai vender o nosso National Health Service aos Estados Unidos e às grandes empresas do setor farmacêutico”, disse o trabalhista ao premiê. Johnson negou a acusação.

Debate em números

Quase sete milhões de pessoas assistiram ao debate transmitido pela emissora ITV, o que equivale a cerca de um terço do total da audiência televisiva no Reino Unido. Dentre os telespectadores, 1 milhão estão na faixa de idade entre 16 e 34 anos.

Publicidade

Segundo o jornal The Guardian, houve um “crescimento substancial” na audiência em relação às últimas eleições, de 2017, quando os debates foram boicotados pela então líder do Partido Conservador e pela antecessora de Johnson, Theresa May.

Após o debate, que durou cerca de uma hora, as pesquisas mostraram que o público estava dividido sobre quem teria vencido: 51% disseram que Johnson foi o vencedor, enquanto 49% apoiaram Corbyn — um resultado que segundo os analistas dá vantagem para o líder trabalhista, que está atrás nas pesquisas de opinião.

Eleições de dezembro

Johnson, que chegou ao poder em julho após vencer uma disputa na sucessão da liderança no Partido Conservador, encara as suas primeiras eleições gerais, que foram convocadas antecipadamente por ele mesmo e que serão realizadas no dia 12 de dezembro.

O premiê aspira a obter maioria no Parlamento para concretizar o Brexit em janeiro, como prometeu. Desde as eleições de 2017, os conservadores não têm maioria absoluta em Westminster.

Publicidade

O primeiro debate na ITV só contou com a presença de Johnson e Corbyn. No dia 6 de dezembro, a menos de uma semana da eleição, a BBC realizará um segundo debate em que as liderança de outros partidos também participarão.

(Com Reuters e AFP)

Publicidade