Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em meio à sua própria crise, Venezuela envia ajuda humanitária para Cuba

Maduro destina 100 toneladas de doações para Havana e bloqueia ingresso de alimentos e remédios dos EUA e outros países aos venezuelanos

Um navio militar venezuelano chegou na manhã desta sexta-feira, 8, a Havana para entregar 100 toneladas de ajuda humanitária a Cuba, recentemente atingida por um tornado. A demonstração de solidariedade do regime de Nicolás Maduro deu-se justamente quando seu país de abastecimento de alimentos e remédios e seu governo bloqueia o ingresso de ajuda humanitária enviada por outras nações.

“O T-91 Les Moines, das Forças Armadas Bolivarianas, chegou ao porto de Havana com ajuda para as pessoas afetadas por um forte tornado”, escreveu a Embaixada da Venezuela em Cuba no Twitter, divulgando uma foto do navio.

Em outro tuíte, a embaixada mostra as bandeiras dos dois países içadas na proa do barco militar, bem como o vice-ministro de Relações Exteriores de Cuba, Antonio Carricar, que foi receber os suprimentos.

“O vice-ministro (de Cuba) agradece ao povo e ao governo da Venezuela pela ajuda que beneficiará os afetados pelo tornado e também expressa a solidariedade de Cuba com a Venezuela”, afirma o tuíte.

Cuba foi atingida por um forte tornado que deixou seis mortos e cerca de 200 feridos no último dia 27. O país é o aliado mais próximo da Venezuela. Seu apoio ao governo de Nicolás Maduro está na mira dos Estados Unidos, que prometeu “libertar a Venezuela de Cuba”.

O envio das doações aos cubanos acontece justamente quando a Venezuela enfrenta sua própria crise política, econômica e humanitária. Os Estados Unidos ofereceram uma ajuda inicial de 20 milhões de dólares para o país. O Canadá de 40 milhões, e a Comissão Europeia de outros 5 milhões de euros.

O governo de Maduro, contudo, rejeita as doações e vem bloqueando a fronteira da Venezuela com a Colômbia para impedir a entrada de qualquer tipo de ajuda internacional. O chavista nega que haja uma situação de emergência em seu país e alega que o povo venezuelano não mendigará.

Os primeiros caminhões de ajuda humanitária americana destinados à Venezuela chegaram nesta quinta-feira 7 à fronteira entre a Colômbia e a Venezuela e aguardam autorização para entrar no país governado por Maduro.

“A Venezuela não vai permitir o show da ajuda humanitária falsa, porque nós não somos mendigos de ninguém”, afirmou o mandatário em coletiva.

O envio de ajuda humanitária internacional para os venezuelanos é uma reposta ao chamado de Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino da Venezuela. O presidente da Assembleia Nacional já foi reconhecido e recebe apoio de diversas nações da União Europeia, além de Estados Unidos, Brasil, Colômbia e outros países sul-americanos.

(Com AFP)