Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

EI reivindica atentado que deixou 34 mortos em escola de Cabul

Governo afegão reduziu número de mortos deixados por ataque; explosão visava a jovens da minoria xiita

Por Da Redação 16 ago 2018, 08h29

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta quinta-feira (16) a autoria do ataque contra uma escola em um bairro de maioria xiita de Cabul, no Afeganistão, que deixou pelo menos 34 mortos e 56 feridos na quarta-feira (15).

A agência Amaq, vinculada ao EI, identificou o autor do atentado como o “irmão mártir” Abdulrauf al Jorasani, em um comunicado divulgado pelo Telegram. A autenticidade da nota não pôde ser comprovada.

O terrorista detonou um colete com explosivos em uma “escola de apóstatas renegados”, palavras com as quais o grupo jihadista se refere habitualmente à comunidade xiita, minoritária no Afeganistão.

Segundo a nota do órgão de propaganda do EI, o atentado causou mais de 200 vítimas entre mortos e feridos.

O Governo afegão corrigiu hoje de 48 para 34 o número de mortos no ataque suicida, depois de detectar que algumas vítimas foram contadas duas vezes.

O atentado aconteceu no começo da tarde de ontem quando um insurgente detonou os explosivos dentro de uma escola particular de treinamento para exames admissionais em universidade, onde estudam principalmente menores de idade, tanto meninos como meninas.

A área onde fica a escola, Dasht-e-Barchi, abriga um grande número de casas de pessoas da minoria xiita, alvo habitual da insurgência no Afeganistão

(Com EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade