Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Deputados franceses pedem reconhecimento do Estado palestino

Proposta aprovada teve apoio do partido do presidente François Hollande

Deputados franceses aprovaram, nesta terça-feira, uma resolução que pede ao governo do presidente François Hollande que reconheça unilateralmente o Estado palestino, numa tentativa de ressuscitar o processo de paz no Oriente Médio.

O projeto, que foi aprovado por 339 votos a 151, é a mais recente tentativa de parlamentos europeus de pressionar Israel a retornar para a mesa de negociações. Os países do continente vêm se mostrando frustrados com Israel, que desde o fracasso das últimas conversas patrocinadas pelos Estados Unidos, em abril, tenta aprovar a construção de novos assentamentos em territórios que os palestinos desejam para seu Estado.

A decisão francesa ocorre depois de a Suécia se tornar o maior país europeu ocidental a reconhecer oficialmente a Palestina. Os parlamentos de Espanha, Grã-Bretanha e Irlanda realizaram votações nas quais apoiaram resoluções de cumprimento não obrigatório em favor do reconhecimento.

Leia também

Guerra em Gaza não teve vencedor, aponta pesquisa israelense

Novos assentamentos ameaçam relações entre Israel e UE​

Espanha: deputados reconhecem Palestina como Estado

O governo francês não é obrigado a agir de acordo com a moção parlamentar, que não é vinculativa. Porém, a resolução foi aprovada com o apoio do partido Socialista, de Hollande.

O texto, proposto pelos socialistas e endossado por partidos de esquerda e alguns conservadores, pede ao governo para “usar o reconhecimento de um Estado palestino com o objetivo de resolver o conflito definitivamente”. Nem o ministro das Relações Exteriores, Laurent Fabius, nem o primeiro-ministro, Manuel Valls, compareceram à votação no Parlamento. O governo já declarou que não se aterá ao resultado, mas já declarou anteriormente que simpatiza com a ideia desde que ela seja condicionada a mais uma tentativa de negociar.

“Não queremos um reconhecimento simbólico que só levará a um Estado virtual”, declarou o secretário de Estado francês dos Assuntos Europeus, Harlem Desir, a legisladores em reação à moção. “Queremos um Estado palestino que seja real, por isso queremos dar uma chance às negociações”. “Fundamentalmente, a França apoia a solução de dois Estados. A França vai, portanto, reconhecer o Estado palestino. A questão em princípio é quando e como”, declarou ao Parlamento Harlem Desir, secretário francês de Estado para Assuntos Europeus, momentos antes da votação.

Em 28 de novembro, Fabius declarou que a França iria reconhecer uma Palestina independente sem um acordo negociado se uma última iniciativa diplomática fracassasse.

Depois da votação, o premiê de Israel, Benjamin Netanyahu, classificou o voto francês como “um erro grave”.

(Com agência Reuters e Estadão Conteúdo)