Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Depois de Bolsonaro, Greta Thunberg alfineta Trump no Twitter

Presidente dos Estados Unidos atacou a ativista ambiental, dizendo que ela precisava 'controlar sua raiva' e 'relaxar'

Por Da Redação - Atualizado em 12 dez 2019, 12h52 - Publicado em 12 dez 2019, 12h41

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, publicou nesta quinta-feira, 12, uma mensagem em que ataca a jovem ativista ambiental Greta Thunberg, de 16 anos. Como resposta, a sueca mudou a descrição de sua conta no Twitter e ironizou o presidente americano — assim como fez com Jair Bolsonaro, que a chamou de “pirralha”.

Trump iniciou seu ataque dizendo que a decisão da revista Time de dar o título de ‘Pessoa do Ano’ a Thunberg era “ridículo”, para logo em seguida dizer que a sueca deveria “trabalhar no seu controle de sua raiva” e “assistir um filminho com um amigo”.

“Relaxa, Greta, relaxa!”, escreveu.

A sueca, então, resolveu responder a Trump, mas optou por fazê-lo do mesmo modo que respondeu Bolsonaro na terça-feira 10: mudou sua descrição no Twitter em provocação ao líder americano.

“Uma adolescente trabalhando em seu controle de raiva. Atualmente descansando e assistindo um filminho com um amigo”, escreveu a ativista no campo usado pelos usuários da rede social para descrever sua personalidade e principais atividades. 

A ativista sueca de 16 anos Greta Thunberg altera sua descrição no Twitter para alfinetar Donald Trump, presidente dos Estados Unidos – 12/12/2019 Reprodução/Reprodução

Não é a primeira vez que a sueca e o americano se estranham. Durante a Assembleia-Geral das Nações Unidas em setembro, uma foto em que Thunberg aparecia encarando Trump viralizou na internet.

Publicidade

Tanto os Estados Unidos quanto o Brasil estão na mira de ativistas ambientais ao redor do mundo. No caso brasileiro, as medidas tomadas pelo presidente Bolsonaro e pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, são contestadas ao redor do mundo.

Bolsonaro atacou a sueca na terça-feira 11 ao chama-la de “pirralha” enquanto questionava o porquê da imprensa dar espaço ao que a jovem diz. A fala do presidente veio após um questionamento da própria Thunberg sobre indígenas assassinados no Maranhão. No mesmo dia, a sueca mudou sua descrição no Twitter para “pirralha”.

No dia seguinte ao ataque do brasileiro, a revista Time deu a Thunberg o título de “Pessoa do ano”. Já foram homenageados pelo periódico americano dezenas de personalidades, algumas controversas como o ditador Adolf Hitler, além do próprio Trump, que figurou na capa da revista em 2016.

Thunberg ganhou notoriedade em 2018, quando passou a faltar às aulas na escola, sempre às sextas-feiras, para se manifestar contra a inação dos líderes políticos de seu país ante a mudança climática. Em pouco menos de um ano, sua persistência mobilizou milhões pelo mundo sob a bandeira da ecologia e do desenvolvimento sustentável.

Publicidade