Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Democratas: cancelar reunião é melhor do que ‘acordo ruim’ com Kim

Para o partido de oposição a Trump, pacto deve incluir a destruição total dos arsenais nuclear e químico da Coreia do Norte e outros quatro pontos

Por Da Redação Atualizado em 4 jun 2018, 18h08 - Publicado em 4 jun 2018, 16h59

O líder da minoria no Senado dos Estados Unidos, o democrata Chuck Schumer, anunciou nesta segunda-feira (04) uma lista de cinco pontos que o partido considera imprescindíveis no acordo com a Coreia do Norte e pediu ao presidente do país, Donald Trump, que cancele as negociações com Kim Jong-un caso as expectativas não sejam atendidas.

“Queremos garantir que ele deixará as negociações se tratar-se de um acordo ruim”, disse Schumer durante entrevista coletiva.

Segundo o senador, o acordo com a Coreia do Norte deve incluir os seguintes pontos: a destruição dos arsenais nuclear e químico do país, o fim da produção de urânio enriquecido, a suspensão dos testes com mísseis balísticos, o compromisso de aceitar inspeções internacionais e o caráter permanente do pacto.

O democrata alertou a Casa Branca que os membros do partido não apoiarão nenhum acordo que não inclua todos esses pontos.

Continua após a publicidade

Schumer criticou as idas e vindas de Trump ao cancelar e depois remarcar a reunião com Kim Jong-un para a próxima terça-feira, 12 de junho, em Singapura. Também reconheceu que o presidente mantém um tom firme, mas indicou que o mais importante é conseguir um bom acordo, e não quem tem um “botão maior”.

Durante a mesma coletiva, o líder democrata no Comitê de Relações Exteriores do Senado, Bob Menéndez, afirmou que o partido não deseja que Trump fracasse nas negociações. “Há coisas demais em jogo”, resumiu o senador.

No entanto, Menéndez colocou em dúvida a capacidade atual do governo de conduzir as negociações e considerou que assinar um pacto por questões políticas seria inaceitável para os democratas.

“Preocupa-me que o presidente não tenha uma estratégia real e que possa colocar em perigo nossos aliados”, indicou Menéndez, que avalia a possível retirada das tropas americanas da Coreia do Sul como um “sinal terrível” para os aliados do país na região. Trump planeja a remoção de boa parte dos 28,5 mil soldados americanos por razões fiscais.

(Com EFE)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)