Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Decisão judicial europeia complica posse de Pedro Sánchez na Espanha

Medida envolve a liberdade de Oriol Junqueras, ex-vice presidente da Catalunha e líder de partido-chave para os socialistas formarem novo governo

Por Da Redação Atualizado em 19 dez 2019, 18h19 - Publicado em 19 dez 2019, 18h04

O Tribunal de Justiça da União Europeia decidiu nesta quinta-feira, 19, que o líder catalão Oriol Junqueras, preso na Espanha, seja libertado. A medida interferiu nas negociações entre os socialistas e a esquerda catalã para formar um novo governo espanhol, sob o comando de Pedro Sanchez.

A Espanha deveria ter permitido a Junqueras, líder do partido Esquerda Republicana da Catalunha (ERC) e detido há mais de dois anos, ter assumido o posto de eurodeputado, determinou a corte europeia. O catalão fora eleito em 26 de maio. Ex-vice presidente da Catalunha, ele foi preso preventivamente em novembro de 2017 devido à sua participação na fracassada tentativa de secessão catalã no mês anterior. Em outubro de 2019, foi condenado pela Suprema Corte espanhola a 13 anos de prisão por sedição e peculato.

Rapidamente, os líderes da ERC exigiram que as autoridades espanholas libertassem Junqueras. A esquerda catalã até congelou os contatos para a investidura do socialista Pedro Sánchez em 30 de dezembro. Líder do Partido Socialista dos Trabalhadores Espanhóis (PSOE), Sánchez precisa do apoio da ERC para se manter no cargo de primeiro-ministro e formar um novo gabinete.

O PSOE elegeu 120 deputados em novembro, mas precisa do apoio de 176 dos parlamentares para empossar Sánchez. Já firmou um pré-acordo com o Unidas Podemos, outra legenda de esquerda, e conta com o apoio de seus 35 deputados. Assim, Sánchez precisa apenas de mais 21 parlamentares. O ERC contribuiria com os seus 13.

“A decisão da justiça europeia coloca a ERC novamente em uma situação proeminente na negociação”, diz a analista Isabel García Pagan em um artigo no jornal catalão La Vanguardia.

Em um comunicado, o governo interino de Sánchez, que está no poder desde 2018, transferiu para a justiça espanhola a responsabilidade de como cumprir a decisão para a Suprema Corte, que havia condenado Junqueras.

(Com AFP)

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)