Coronavírus: Casos no Chile dobram para 155, e Piñera fecha fronteiras | VEJA
Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Coronavírus: Casos no Chile dobram para 155, e Piñera fecha fronteiras

Forças Armadas vão aplicar a medida, que passa a valer na quarta-feira, 18; uma cidade está em quarentena no sul do país

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 19h27 - Publicado em 16 mar 2020, 17h07

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, anunciou nesta segunda-feira, 16, o fechamento de todas as fronteiras. A medida ocorre após o número de casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus ter dobrado, de 75 para 155, em apenas 24 horas.

Com o aumento, o país se tornou o segundo mais contaminado na América Latina, atrás apenas do Brasil, que tem 200 casos confirmados pelo Ministério da Saúde. Segundo o líder chileno, o surto está no “estágio mais complexo, no qual ocorre a circulação viral e a dispersão comunitária dessa doença”.

“Decidimos fechar todas as fronteiras terrestres, marítimas e aéreas de nosso país para o trânsito de estrangeiros”, disse Piñera, anunciando que a medida começará a vigorar a partir de quarta-feira, 18. Segundo ele, a providência não afetará cargas e compras excessivas de bens.

As Forças Armadas colaborarão com o controle das fronteiras “para garantir que o fechamento que determinamos seja totalmente respeitado”, acrescentou o presidente.

Passaporte sanitário

Outras medidas de contenção já foram anunciadas pelo governo. Chilenos que vêm de lugares de alto risco – Alemanha, China, Espanha, França, Irã e Itália – só podem entrar no país após uma quarentena obrigatória de 14 dias.

Para circular no Chile, será preciso um “passaporte sanitário”, concedido após os viajantes se submeterem a um exame para o coronavírus. A iniciativa pode “impedir a entrada no país de pessoas que representam o risco mínimo para a população chilena”, segundo o Ministério da Saúde chileno.

Continua após a publicidade

Piñera também anunciou a redução de 200 para 50 o total de pessoas que pode se reunir para “cerimônias, eventos ou atos públicos estritamente necessários”.

Esta segunda-feira é o primeiro dia sem aulas, com menos pessoas nas ruas e muito poucas no metrô de Santiago.

Cidade em quarentena

A pequena cidade de Caleta Tortel, uma vila de pescadores com 500 habitantes a 2.400 quilômetros ao sul de Santiago, está em quarentena desde sábado 14. Lá, um turista britânico interagiu com várias pessoas antes de ser diagnosticado com Covid-19.

“Até o momento não há relatos de contágio, mas estamos acompanhando de perto”, afirmou o ministro da Saúde, Jaime Mañalich. Caleta Tortel ficará em quarentena por 14 dias.

Também desde sábado, o governo proibiu cruzeiros no Chile, e dois navios da companhia norueguesa-americana Royal Caribbean Cruises foram colocados em quarentena. Dentre os 1.300 passageiros, um foi diagnosticado com coronavírus.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade