Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Coreia do Norte reconhece fracasso, mas promete lançar novo satélite

Lançamento foi condenado pelas autoridades sul-coreanas e japonesas, que chegaram a emitir alertas para a população

Por Da Redação
31 Maio 2023, 11h30

A tentativa da Coreia do Norte de colocar um satélite de reconhecimento militar no espaço fracassou depois que o segundo estágio do foguete apresentou defeito nesta quarta-feira, 31. De acordo com a agência de notícias estatal KCNA, Pyongyang ainda planeja realizar um segundo lançamento o mais rápido possível.

O relatório divulgado afirma que “a confiabilidade e a estabilidade do novo sistema de motor” eram “baixas” e o combustível usado “instável”, levando ao fracasso da missão. A Agência Nacional de Desenvolvimento Espacial da Coreia do Norte disse que investigaria a falha “urgentemente” e realizaria outro lançamento após novos testes.

“O novo foguete veículo satélite, Chollima-1, caiu no Mar Ocidental ao perder a propulsão devido a uma inicialização anormal do motor no 2º estágio após a separação do 1º estágio durante o voo normal”, diz o comunicado da KCNA.

O Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul disse ter identificado um objeto que faz parte do que a Coreia do Norte afirma ser seu veículo de lançamento no mar a cerca de 200 quilômetros a oeste da Ilha Eocheong. Segundo o governo, militares sul-coreanos estão em processo de resgatar o material.

This handout photo taken on May 31, 2023 and provided by South Korean Defence Ministry in Seoul shows an object presumed to be part of North Korea's claimed 'Space Launch Vehicle' being salvaged by South Korea's miliaty in waters 200km (124 miles) west of Eocheong Island in the Yellow Sea. South Korea's military said on May 31, it had located and was salvaging a suspected part of a North Korean spy satellite that crashed into the sea shortly after launch due to a rocket failure. (Photo by Handout / South Korean Defence Ministry / AFP) / RESTRICTED TO EDITORIAL USE - MANDATORY CREDIT
Um objeto que se presume ser parte do alegado ‘Veículo de Lançamento Espacial’ da Coreia do Norte sendo resgatado por militares da Coreia do Sul. 31/05/2023 – (Divulgação/Ministério da Defesa da Coreia do Sul/AFP)

+ Coreia do Norte anuncia lançamento de primeiro satélite espião militar

Mais cedo, Seul afirmou que Pyongyang lançou um “projétil espacial”, disparando sinais de alerta na Coreia do Sul e no Japão, semanas depois que o líder Kim Jong Un ordenou que as autoridades se preparassem para o lançamento do primeiro satélite de reconhecimento militar do país. Autoridades sul-coreanas e japonesas cancelaram posteriormente esses alertas quando ficou claro que não havia perigo para áreas civis.

Em Seul, o alerta foi cancelado cerca de 20 minutos depois de ter sido emitido e houve uma confusão sobre qual autoridade o implementou. O Ministério do Interior disse que foi emitido pelo governo da cidade de Seul por engano.

O prefeito de Seul, Oh Se-hoon, pediu desculpas aos cidadãos por “causar confusão” ao enviar um alerta para toda a cidade, acrescentando que esforços serão feitos para refinar o sistema para evitar situações semelhantes.

Analistas disseram que os eventos da manhã desta quarta-feira indicam problemas para as duas Coreias. Para o Norte, pelo seu programa espacial e, para o Sul, pelo seu processo de alerta do público em caso de um ataque real.

+ Japão vai destruir mísseis norte-coreanos que entrarem em seu território

Os governos sul-coreano e japonês condenaram o lançamento norte-coreano como uma violação das resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas. O presidente a Coreia do Sul, Yoon Suk-yeol, emitiu um comunicado afirmando que o lançamento foi uma “provocação séria que ameaça a paz e a segurança na Península Coreana”.

+ Biden recebe líder sul-coreano, de olho na ameaça nuclear de Kim Jong-un

No Japão, o secretário-chefe do governo, Hirokazu Matsuno, disse que Tóquio “protestou veementemente” contra a Coreia do Norte. Ele prometeu “vigilância e vigilância” contínuas do governo japonês.

A Coreia do Norte realizou dezenas de testes de mísseis balísticos nos últimos dois anos, o que, segundo analistas, mostra um amadurecimento do programa. O teste de um novo míssil balístico intercontinental (ICBM) de combustível sólido em abril mostrou que Pyongyang poderia lançar os mísseis mais rapidamente no caso de qualquer confronto nuclear.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.