Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Com retórica afiada, Zelensky pede jatos militares ao parlamento britânico

O presidente ucraniano fez uma visita surpresa ao Reino Unido para agradecer por seu apoio na guerra contra a Rússia e fazer apelo por armas ofensivas

Por Da Redação
Atualizado em 8 fev 2023, 12h54 - Publicado em 8 fev 2023, 12h44

“No Reino Unido, o rei é um piloto da força aérea. Na Ucrânia hoje, todo piloto da força aérea é um rei”, disse o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, ao Parlamento britânico nesta quarta-feira, 8. Em discurso com retórica mais afiada que nunca, ele fez um poderoso apelo a Westminister pelo envio de aviões militares a jato para o campo de batalha contra a Rússia, o que aumentaria o contingente de armas ocidentais ofensivas em uma guerra da qual o Ocidente afirma não participar.

+ Últimas 24 horas foram as mais mortais para russos desde início da guerra

Zelensky viajou a Londres nesta quarta-feira, 8, para uma rara visita fora da Ucrânia – é apenas sua segunda viagem ao exterior (a primeira foi aos Estados Unidos) desde a invasão russa de seu país há quase um ano. Durante seu discurso, ele agradeceu o Reino Unido por seu apoio e previu a vitória ucraniana sobre Moscou com sua ajuda.

“Sabemos que a liberdade vencerá; sabemos que a Rússia vai perder. Sabemos que a vitória mudará o mundo”, disse ele. “O Reino Unido está marchando conosco rumo à vitória mais importante de nossas vidas.”

De fato, o governo britânico se enxerga como liderança no rol de apoiadores da Ucrânia, e o primeiro-ministro, Rishi Sunak, como seus antecessores, é um defensor declarado dos interesses de Kiev. Nesta quarta-feira, Sunak anunciou novas sanções contra quem chamou de “elites do Kremlin” e prometeu mais apoio militar, incluindo o treinamento de pilotos de caça ucranianos.

+ Em visita-surpresa a Londres, Zelensky vai se encontrar com rei Charles

Isso, no entanto, ainda está aquém dos pedidos de Zelensky. O líder ucraniano não deseja instrução sobre como pilotar os aviões, e sim jatos militares em si.

Embora Londres, depois de Washington, seja o maior provedor de assistência militar à Ucrânia (em 2022, forneceram US$ 2,8 bilhões em preciosa ajuda bélica para Kiev e prometeu igualar a quantia em 2023), e ainda lidere a Operação Interflex, iniciativa que treina soldados ucranianos em território britânico, ainda está relutante em enviar caças ao campo de batalha. O que não impediu Zelensky de renovar seu desejo, já bem conhecido.

+ Rússia: armas ofensivas da Otan levam a ‘escalada imprevisível’ na Ucrânia

+ Na lista de presentes de Natal de Zelensky: armas dos EUA

Depois de fazer referência ao rei Charles III, que treinou como piloto de jato na Royal Air Force, na década de 1970, o líder ucraniano falou de seus próprios pilotos: “Por serem tão poucos e tão preciosos, nós, servos de nossos reis, faremos o possível e o impossível para que o mundo nos forneça aviões modernos para capacitar e proteger os pilotos que estão nos protegendo.”

Continua após a publicidade

Ele então apresentou o capacete de um piloto ucraniano ao presidente da Câmara dos Comuns, com a inscrição: “Temos liberdade, dê-nos asas para protegê-la”.

+ Guerra na Ucrânia: a hora e a vez dos blindados

Já fora do governo há meses, o ex-primeiro-ministro britânico Boris Johnson, um dos líderes mais próximos a Zelensky, fez um argumento recente de que países ocidentais deveriam estar mais dispostos a enviar aviões sofisticados à Ucrânia.

“Dê aos ucranianos as ferramentas para terminar o trabalho. Dê a eles os sistemas de artilharia de alcance profundo, dê a eles os tanques, dê a eles os aviões, porque eles têm um plano. Eles sabem o que precisam fazer”, disse em um discurso no centro de pesquisas Atlantic Council, em Washington.

+ Ucrânia deve ser admitida na Otan, diz Boris Johnson

De língua afiada, Zelensky encerrou o discurso com um gracejo: “Deixando o parlamento britânico há dois anos, agradeci pelo delicioso chá inglês e deixarei o parlamento hoje agradecendo antecipadamente a todos vocês pelos poderosos aviões ingleses”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.