Colômbia: Jornalista espanhola em poder da guerrilha ELN é libertada

Salud Hernández foi sequestrada no último sábado

Por Da Redação - 27 maio 2016, 20h05

A jornalista espanhola Salud Hernández, desaparecida desde sábado em Catatumbo, nordeste da Colômbia, foi libertada pela guerrilha ELN nesta sexta-feira. Ela foi sequestrada enquanto fazia uma matéria na região sobre protestos de moradores pelo desaparecimento de duas crianças.

Correspondente do jornal espanhol El Mundo e colunista do colombiano El Tiempo, Salud falou com a publicação da Colômbia logo após ser encontrada em uma estrada entre San Calixto e Teorama, no departamento Norte de Santander. Ela contou que, no período em que ficou detido, os homens da ELN, a segunda maior força de guerrilha no país depois das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). deixaram claro que se tratava de um sequestro.

Ao El Mundo, Salud contou como ocorreu o sequestro: “Mandaram-me subir em um moto para fazer uma entrevista com os guerrilheiros. Eu sempre fui um pouco imprudente, por isso aceitei”, disse. “Trocamos de moto várias vezes”. Ela relatou ainda que, durante os seis dias em que esteve detida, trocou de cativeiro “cindo ou seis vezes”.

Leia mais:

Publicidade

Colômbia confirma que jornalistas desaparecidos estão em poder do ELN

Repórteres que cobriam desaparecimento de jornalista na Colômbia são detidos

Ela afirmou que foi bem tratada pelos guerrilheiros e, embora não tenha sentido medo, “houve momentos difíceis, especialmente quando ouviam-se os sons dos helicópteros” das forças armadas que estavam tentando localizá-la.

Segundo a jornalista, sua libertação ocorreu graças à mediação do Defensoria Pública de Norte de Santander e da Igreja Católica na região, que ela descreveu como um pilar social para Catatumbo.

Publicidade

Salud disse que não teve contato com Diego D’Pablos e Carlos Melo, os dois repórteres que sumiram na região quando cobriam o desaparecimento da jornalista.

(Da redação)

Publicidade