Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Colômbia estende bloqueio de trechos da fronteira com a Venezuela por 24h

Após distúrbios, governo colombiano mantém restrições nas pontes internacionais Simón Bolívar, Francisco de Paula Santander, La Unión e de La Unidad

O governo da Colômbia prolongou por 24 horas o fechamento de todas as passagens fronteiriças com a Venezuela no departamento de Norte de Santander, devido aos distúrbios que ocorrem na região, de forma que a medida se estenderá por toda a terça-feira, até meia-noite, informaram nesta segunda-feira fontes oficiais.

“Considerando a continuidade (de distúrbios) em alguns dos pontos da fronteira com a Venezuela, gerados pelos grupos de venezuelanos na Colômbia, decidimos prolongar por mais 24 horas o fechamento da fronteira”, afirmou o diretor de Migração da Colômbia, Christian Krüger Sarmiento.

O diretor afirmou que a medida foi tomada com o objetivo de seguir verificando “os danos na infraestrutura e garantir aos funcionários que se encontram nesses quatro pontos sua integridade e segurança”, para os excessos que ocorrem desde o último sábado após a tentativa de ingressar com ajuda humanitária na Venezuela.

Os pontos em que a passagem continuará a ser restrita são as pontes internacionais Simón Bolívar, Francisco de Paula Santander, La Unión e de La Unidad. No último sábado, a Migração da Colômbia anunciou o fechamento dessas passagens entre ontem e hoje para avaliar os danos ocasionados.

Cúcuta, capital do departamento colombiano de Norte de Santander, está conectada pela ponte internacional Simón Bolívar com a cidade venezuelana de San Antonio, no estado Táchira.

A ponte Francisco de Paula Santander une Cúcuta com a cidade de Ureña, da mesma forma que a de Tienditas, também conhecida como La Unidad, finalizada em 2016 e nunca colocada em serviço, e em cujo lado colombiano está armazenada a ajuda.

Uma quarta ponte na área, La Union, é uma estrutura menor entre as cidades de Puerto Santander (Colômbia), a vizinha Cúcuta e a venezuelana Boca de Grita. Krüger pediu hoje “ordem e tranquilidade neste momento de transição” e afirmou que a Colômbia continuará a apoiar o “povo venezuelano (que) reivindica a liberdade dessa tirania”.

“A partir da próxima quarta-feira, 27 de fevereiro, as fronteiras serão abertas nesses quatro pontos sem qualquer inconveniente”, acrescentou o diretor.

Da mesma forma, ele disse que a medida afeta apenas as passagens de fronteira em Norte de Santander, então o resto dos pontos de controle entre a Colômbia e a Venezuela continuará a “fornecer o serviço normalmente”.

(Com EFE)