Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA querem reunião do Conselho de Segurança sobre Venezuela

Departamento do Tesouro dos EUA adota sanções contra quatro governadores aliados de Nicolás Maduro

Os Estados Unidos solicitaram nesta segunda-feira, 25, uma reunião a respeito da Venezuela para amanhã no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), informaram fontes diplomáticas. O governo de Donald Trump pretende dar continuidade a uma sessão aberta anterior, de 26 de janeiro.

Não foi ainda sinalizada a proposta que os Estados Unidos levarão ao Conselho. Qualquer iniciativa mais dura, como uma resolução contendo sanções e outras punições pelos recentes atos de violência do governo de Nicolás Maduro contra sua população, tenderá a ser vetada pela Rússia e pela China, dois membros permanentes e aliados do regime de Caracas.

Antecipado pelo vice-presidente americano, Mike Pence, durante reunião na manhã desta segunda-feira do Grupo de Lima, em Bogotá, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos informou ter aplicado sanções contra quatro governadores estaduais aliados de Maduro. O Tesouro alega que eles estão “envolvidos em corrupção, no bloqueio ao ingresso de ajuda humanitária essencial e por terem contribuído para aprofundar a crise humanitária do país”.

Pence afirmara ao autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, que os Estados Unidos estão “100%” com ele. “A você, presidente Guaidó, uma simples mensagem do presidente Trump: estamos com você 100%”, declarou.

“Esperamos uma transição pacífica para a democracia, mas o presidente Trump deixou claro: todas as opções estão na mesa”, completou, em uma indicação de que seu governo não afasta a possibilidade de intervenção militar.

Juan Guaidó pediu ao Grupo de Lima e aos Estados Unidos ajuda e cooperação para restabelecer a democracia em seu país e disse que a transição está sendo bloqueada por coletivos armados que apoiam o governo de Nicolás Maduro.

(Com EFE e Reuters)