Coalizão aniquila o ‘número 2’ do Estado Islâmico

O físico Abu Alaa Afr foi morto em um ataque aéreo em Tal Afar, cidade iraquiana próxima à Síria. Ele tinha assumido o posto de líder do Estado Islâmico recentemente

Por Da Redação - 13 maio 2015, 11h39

A segunda pessoa mais importante no comando do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) foi morta em um ataque aéreo da coalizão liderada pelos Estados Unidos no norte do Iraque, comunicou nesta quarta-feira o Ministério de Defesa iraquiano. Até o momento a informação não foi confirmada pelo Pentágono. Abdul Rahman Mustafa Mohammed, mais conhecido como Abu Alaa Afri, e outros membros do EI estavam dentro de uma mesquita em Tal Afar, disse o porta-voz do Ministério, Tahsin Ibrahim. O município de Tal Afar fica na rota que liga a cidade de Mosul (principal reduto dos jihadistas) à Síria.

Afri é um ex-professor de física e tinha, segundo reportagem do The Guardian, assumido recentemente a o comando do EI após Abu Bakr al Baghdadi, ficar gravemente ferido em um ataque aéreo da coalizão. Segundo o encarregado de tratar de assuntos ligados ao EI no governo iraquiano, Hisham al Hashimi, Afri ascendeu rapidamente e se tornou mais importante do que Baghdadi nas colunas terroristas do grupo. “Mais importante, mais esperto e com relacionamentos melhores. Ele é um bom orador e possui forte carisma”, disse Hashimi à revista Newsweek. Na semana passada, o Departamento de Estado dos EUA ofereceu uma recompensa de 7 milhões de dólares (21 milhões de reais) para quem desse informações que levassem à captura de Afri, identificado como Abdul Rahman Mustafa al-Qaduli pelo americanos.

Leia também

Ex-professor de física assume EI após chefe ser ferido em ataque

Publicidade

Ex-coronel de Saddam Hussein está por trás do crescimento do EI

O terrorista Abdul Rahman Mustafa Mohammed O terrorista Abdul Rahman Mustafa Mohammed

O terrorista Abdul Rahman Mustafa Mohammed /

São poucos os detalhes conhecidos sobre Afri. Sabe-se que, antes de ascender ao posto de vice do califa, ele intermediava a relação entre Baghdadi e o seus colaboradores mais próximos na Síria, Iraque e Líbia. Acredita-se também que o terrorista Osama bin Laden, fundador do grupo terrorista Al Qaeda, tenha cogitado apontá-lo para chefiar sua organização no Iraque em 2010. Foi justamente nesta célula da Al Qaeda que surgiram os dissidentes jihadistas que criaram o EI.

Leia mais

EUA oferecem recompensa milionária por informações sobre chefes do EI

Publicidade

(Da redação)

Publicidade