Group 21 Copy 4 Created with Sketch.
Ao vivoAmarelas ao Vivo entrevista Alvaro Dias, do Podemos

Evento de VEJA já ouviu os presidenciáveis João Amoêdo (Novo) e Geraldo Alckmin (PSDB). Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (MDB) também serão sabatinados

Cidade de Caracas lança moeda para driblar desvalorização do bolívar

Moeda chamada de 'caribe' pode ser utilizada na feira de alimentos subsidiados organizada pelo município; cada caribe vale 1.000 bolívares

A Prefeitura de Caracas anunciou neste domingo o lançamento de sua própria moeda, o “caribe”, para tentar driblar a escassez de dinheiro na Venezuela e a desvalorização do bolívar, moeda oficial do país, em meio à hiperinflação.

Os caribes, com cédulas de 5, 10, 20, 50 e 100, podem ser utilizados apenas na feira de alimentos com preços subsidiados organizada pelo município, informou a prefeita Érika Farías, aliada do presidente Nicolás Maduro. Cada caribe equivale a 1.000 bolívares.

Veja também

Farías definiu a moeda como um “mecanismo de proteção” para a população. Os moradores de Caracas podem trocar bolívares pela moeda municipal em transações eletrônicas em postos da prefeitura.

A escassez de dinheiro é mais uma dificuldade para os venezuelanos, que enfrentam uma hiperinflação, que segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI) deve alcançar 13.000% este ano, além de grave falta de produtos básicos.

O governo de Maduro atribui a situação a “máfias” que fazem contrabando com papel-moeda, mas analistas consideram que é uma consequência da impossibilidade de imprimir cédulas ao ritmo da inflação fora de controle. A maior nota, de 100.000 bolívares, paga com dificuldade um café nas ruas.

Maduro anunciou em março o lançamento de novas cédulas e moedas, que entrarão em vigor no dia 4 de junho, em um processo de reconversão monetária que cortará três zeros do bolívar, o que significa que 100.000 bolívares passarão a valer 100.

Em meio ao caos, várias comunidades começaram a implementar moedas paralelas. No fim de 2017, moradores de 23 de Janeiro  grande área popular ao oeste de Caracas  criaram o “Panal”, cuja cédula de maior valor tem a imagem do falecido presidente Hugo Chávez (1999-2013). A moeda é usada no bairro (um reduto chavista) para negociar o que é produzido na própria comunidade.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. SOCIALISTAS TEM MAIS QUE COMER CAPIM..

    Curtir