Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

China alerta EUA para perigo de guerra no mar

Washington crê que as ilhas no Mar da China Meridional, apesar de terem sido feitas pelos chineses, não são de sua soberania, pois se encontram em águas internacionais

O comandante da Marinha militar chinesa, Wu Shengli, disse que, se os Estados Unidos não derem fim a suas “ações provocativas” no Mar da China Meridional, pode desatar uma guerra na região. Ainda segundo ele, até mesmo um pequeno incidente registrado na área pode culminar em um confronto bélico. “Espero que Washington aprecie a boa situação entre as marinhas, que não foi conquistada de forma fácil, e evite que este tipo de incidente aconteça novamente”, disse.

Os comentários foram feitos durante uma reunião com seu colega americano John Richardson. As tensões entre os países aumentaram recentemente, após um navio da Marinha americana ultrapassar umas das fronteiras impostas pelo governo chinês no Mar da China Meridional nesta semana, desafiando a soberania do país e causando o descontentamento de Pequim. O Mar da China Meridional é a parte do Oceano Pacífico ao sul da China e à direita da península da Indochina, que abriga Tailândia, Laos, Camboja e Vietnã.

Leia também

A China “não está com medo de começar uma guerra com os EUA”, diz jornal estatal

Navio militar dos EUA se aproxima de ilhas chinesas e irrita Pequim

Jornal estatal chinês diz que guerra entre China e EUA pode ser inevitável

O Ministério de Relações Exteriores chinês declarou que a tripulação do USS Lassen foi avisada que se aproximava do limite de 12 milhas náuticas das ilhas artificiais no arquipélago de Spratly, um conjunto de ilhas rico em recursos energéticos. Desde 2013, força militares chinesas vem ampliando sua atuação na região. Recentemente, a China instalou diversas bases militares na ilha, em um gesto que os Estados Unidos interpretaram como ameaçador para os países vizinhos.

Washington acredita que as ilhas artificiais, apesar de terem sido feitas pelos chineses, não são de sua soberania, pois se encontram em águas internacionais. Desta forma, permite que suas embarcações se aproximem o quanto julgarem necessário. A China, no entanto, considera a ação ilegal. Pequim acredita ter poder sobre todo o Mar da China Meridional, apesar de países vizinhos também reclamarem soberania sobre a região.

Leia mais:

EUA avistam artilharia chinesa em ilha artificial na Ásia

Não estamos em ‘House of Cards’, diz presidente chinês

(Com ANSA)