Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

‘Charlie Hebdo’ publica charges com o menino Aylan

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h25 - Publicado em 15 set 2015, 11h37

A revista satírica francesa Charlie Hebdo voltou a provocar protestos ao publicar nesta segunda-feira duas charges com o menino sírio afogado no mar Mediterrâneo, Aylan Kurdi, de três anos. As ilustrações estão sendo muito criticadas nas redes sociais na França e em outros países na Europa. Na Turquia, país onde o menino foi encontrado, alguns veículos de comunicação acusaram o semanário francês de “insensibilidade” diante da tragédia. Há também algumas manifestações nas redes em defesa dos desenhos, afirmando que eles são um pedido urgente para os políticos agirem.

“A prova de que a Europa é cristã: os cristãos andam sobre a água e as crianças muçulmanas afundam”, diz uma das charges da edição que chegou às bancas nesta segunda. O desenho mostra Jesus andando sobre as águas e o menino Aylan se afogando. A outra ilustração, na capa do semanário, traz a frase “tão perto do objetivo” e o desenho do menino Aylan morto na praia. Ao fundo, um outdoor com um palhaço semelhante ao do McDonald’s informa: “menus infantis, dois pelo preço de um”.

Leia também

Alemanha quer cortar recursos de países que se recusam a receber refugiados

Imagem de policial carregando corpo de garoto sírio afogado simboliza crise dos refugiados

Imagem retrata ‘grito de um corpo silencioso’, diz autora de foto do menino sírio

(Da redação)

As charges com o menino Aylan nas páginas da 'Charlie Hebdo'
As charges com o menino Aylan nas páginas da ‘Charlie Hebdo’ VEJA
Continua após a publicidade
Publicidade