Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Carson admite que passagem da biografia sobre academia militar era mentira

Pré-candidato contava em suas memórias que recebeu – e recusou – uma oferta de bolsa na prestigiada academia de West Point, mas nenhum registro comprovou a história

O pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos Ben Carson admitiu, nesta sexta-feira, ter mentido sobre ter sido aceito na prestigiada academia militar dos EUA. A informação é do site americano Politico, que questionou o neurocirurgião aposentado sobre a falta de registros que comprovem uma oferta de bolsa integral na academia militar de West Point.

De acordo com a autobiografia Gifted Hands (Mãos Talentosas, em português), quando tinha 17 anos, Carson foi apresentado ao general William Westmoreland, que comandou tropas americanas na Guerra do Vietnã, por causa de seu brilhante desempenho no ROTC, um programa de treinamento militar para jovens americanos. Os dois teriam jantado juntos e, segundo o pré-candidato, o encontro teria resultado em uma bolsa integral na academia militar de West Point, que ele teria recusado para cursar medicina. Procurada pelo site americano, no entanto, a academia militar de West Point não encontrou registros de admissão de Ben Carson, tampouco de uma inscrição para obter a bolsa integral.

Por email, o gerente da campanha eleitoral de Carson, Barry Bennet, admitiu que a história é falsa. “Dr. Carson foi o melhor aluno do ROTC em Detroit e, por isso, foi convidado para se encontrar com o general Westmoreland. (…) Na ocasião, membros da academia militar de West Point se ofereceram para ajudá-lo a marcar uma entrevista, por causa de seu bom desempenho. Dr. Carson cogitou, mas acabou não procurando a academia”, escreveu Bennet.

Leia mais:

EUA: Quem tentou atacar a mãe com um martelo pode controlar a bomba atômica?

Hillary Clinton e Ben Carson estão empatados, aponta pesquisa

O episódio que envolve o jantar com o general e a oferta da bolsa de estudos integral é contado por Carson repetidas vezes em palestras e entrevistas. A porta-voz da academia militar americana, Theresa Brinkerhoff, disse ao site Politico que é possível que Carson tenha se encontrado com o general Westmoreland e que o militar tenha encorajado o jovem estudante a se inscrever no processo seletivo, mas sem garantir sua admissão. Segundo Theresa, quem consegue ser admitido tem as despesas pagas, mas, tecnicamente, não existe bolsa integral na academia militar, pois o curso não é pago.

Dúvidas sobre a veracidade de passagens da biografia de Carson estão em destaque na imprensa americana. Em entrevistas à rede CNN, amigos, ex-colegas de escola e vizinhos de Carson no passado não confirmam a juventude agressiva do neurocirurgião, que relata diversos episódios de violência na infância e adolescência até a redenção pessoal proporcionada pela religião.

(Da redação)